Como apresentar um livro


leitura

“Muito prazer. Eu sou ‘o’ livro!” – A arte de bem apresentar uma obra literária

Assim como nos vestimos de determinada maneira para uma entrevista de emprego, uma festa ou um simples piquenique, obras literárias também obedecem algumas regras de apresentação. Capa, tipo de papel, formato, ilustrações, quantidade de cores e outros elementos entram no processo de edição de um livro não apenas para torná-los mais atraentes para a venda, mas também para ajudar o leitor a extrair o máximo da experiência da leitura.52965a412effed6a75a226c5f0caf0bd 600x250 Como apresentar um livroA chamada “apresentação” nada mais é que um texto, normalmente escrito por alguma pessoa que seja referência ou tenha conhecimentos sobre o assunto de que trata a obra, servindo como uma espécie de guia ao leitor para que observe os pontos fortes e aspectos interessantes daquele trabalho que se está a apresentar.

Embora não haja regras rígidas sobre o que e como deve ser escrita, é possível que a apresentação deva seguir alguns padrões explicita e previamente definidos pela própria editora, como é o caso da extensão do texto. Apesar da ampla liberdade para a escrita do texto, uma boa apresentação deve atender a alguns requisitos:

1.  VALORIZAÇÃO DO CONTEÚDO DA OBRA: O texto deve mostrar porque a obra é interessante e porque vale a pena lê-la do começo ao fim. Isso não significa concordar com tudo o que diz o seu autor, mas, caso seja necessário discordar, a discordância deve ser feita de forma crítica, objetiva, construtiva e respeitosa. Também não deve ser uma coleção de bajulações gratuitas, pois o leitor facilmente perceberá, no decorrer da leitura, que aquilo que lhe foi apresentado não corresponde à realidade, desacreditando o seu trabalho.

2. CONTEXTUALIZAÇÃO DO TRABALHO APRESENTADO: Uma boa apresentação preza por relacionar o valor da obra em relação ao conjunto a que pertence. Por exemplo, mostrando ao leitor o peso, as influências, a importância, a comunicação daquele escrito com outros do próprio autor ou da categoria em que se classifica. P. ex. mostrar o valor de uma obra para o conjunto de trabalhos do mesmo autor, ou o seu valor para a literatura nacional ou universal, para a política de um determinado lugar etc.

3. INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXECUÇÃO DA OBRA: Um livro, por mais objetivo que seja, é sempre o resultado da subjetividade do seu autor e, muitas vezes, a sua criação e o seu desenvolvimento até chegar ao texto final constitui uma história à parte que merece ser contada. Embora não seja obrigatório ou exigível que se chegue a esses detalhes, caso o autor da apresentação tenha conhecimento de fatos ou eventos importantes que influenciaram a constituição da obra, desde que autorizados pelo próprio autor, vale a pena citar.

4. COMPATIBILIDADE DE ESCRITA ENTRE A APRESENTAÇÃO E A OBRA: Apesar de não ser obrigatório, normalmente as apresentações seguem o tipo de linguagem empregada na própria obra. Um livro de piadas provavelmente deve se utilizar de uma linguagem mais descontraída e coloquial, assim como um livro científico terá melhor apresentação se a linguagem for mais solene e formal.

Por fim, para concluir, nunca se esqueça de que a apresentação é um trabalho acessório à obra literária. Portanto, cuidado para não exagerar nas citações, comentários, observações e na extensão do texto. A apresentação não é e nem deve pretender ser a peça principal do livro.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !

1 reply to this post