Como é feito o exame eletroneuromiografia


exame

O exame de eletroneuromiografia é um meio auxiliar de diagnóstico e também de prognóstico das lesões específicas localizadas no sistema nervoso periférico. Consiste no conjunto de dois procedimentos distintos e sequentes; a neurocondução e a electromiografia.

São ambos efetuados com recursos a estimulação por elétrodos e é sempre efetuado com um método perfeitamente seguro e controlado. Trata-se de uma avaliação e respectivo registro do grau de atividade elétrica de músculos e de alguns nervos.

Certas neuropatias e doenças que afetam a coordenação motora podem assim ser diagnosticadas de forma precoce, prevenindo o agravamento da condição clínica logo de início.

5622924986 3c797380de z F550x450 Como é feito o exame eletroneuromiografiaOfficial U.S. Navy Imagery / Flickr

Indicações clinicas

  • Queixas reincidentes de dormência ou formigueiro
  • Sintomas de cansaço permanente, dor e miastenia de causa desconhecida
  • Sintomas difusos de fraqueza muscular 
  • Despiste de diversos tipos de neuropatias compressivas
  • Despiste da presença de esclerose Lateral Amiotrófica

Como é feito o exame de eletroneuromiografia

O exame em si é composto de duas fases distintas; a avaliação da condução dos impulsos nervosos e a electromiografia.

  1. Na primeira parte -neuro condução, é executada uma estimulação elétrica, pouco intensa nos vários tipos de nervos; motores, periféricos e sensitivos.
  2. Através do auxílio de diversos elétrodos que são colocados especificamente em certos pontos do percurso dos nervos periféricos, é efetuado o registro da resposta nervosa aos vários estímulos elétricos provocados.
  3. O procedimento é repetido em cada uma das extremidades que necessitam ser alvo de estudo sendo sempre segura e perfeitamente tolerável, a intensidade da descarga elétrica aplicada.
  4. O paciente não sentirá dor apenas uma ligeira impressão no local onde o choque é aplicado.
  5. Na segunda parte do exame a electromiografia, alguns elétrodos finos de agulha descartáveis são inseridos na área muscular relaxada que se pretende avaliar.
  6. Esta etapa, serve para testar se existe lesão ou dano muscular em resultado de algum tipo de perturbação nos nervos.
  7. Apesar de não existir nem injeção nem choque, algum tipo de desconforto ou de dor poderá eventualmente ser sentida à superfície da pela aquando da introdução da agulha, uma vez que é a este nível que se encontram os receptores de dor.

Patologias clínicas possíveis de serem diagnosticadas 

Vários tipos de doenças degenerativas e de outras patologias poderão assim ser diagnosticados precocemente, dando lugar o mais cedo possível à introdução da resposta terapêutica mais adequada antes que a situação se agrave de forma irreversível.

  • Neuropatia compressiva
  • plexopatia
  • mononeuropatias
  • Miastenia Gravis
  • Esclerose Lateral Amiotrófica
  • Polineuroapatias periféricas e axonais
  • Síndrome do Canal Cárpico
  • Paralisias faciais
  • Diversas miopatias

3839510657 3d10c64f63 z F550x450 Como é feito o exame eletroneuromiografiaThe National Guard / Flickr

Cuidados especiais

Paciente que sejam portadores de marca-passo, salvo raras exceções geralmente não efetuam esta parte do exame- neurocondução, para salvaguardar a funcionalidade da bateria do mesmo e não colocar em risco a saúde do doente. No entanto, se o cardiologista autorizar o exame por escrito (por serem maiores os benefícios do que os riscos inerentes ao mesmo) a eletroneuromiografia poderá então ser realizada sempre sobre cuidadosa supervisão médica em que todos os cuidados serão totalmente assegurados

Um diagnóstico preciso na área neuro-muscular é sempre beneficiado pela realização de exames específicos como a eletroneuromiografia. Sobretudo quando falamos de doenças quase sempre degenerativas de progressão mais ou menos lenta, que quanto mais rápida e corretamente forem diagnosticadas, mais hipóteses de tratamento e cura possuirão.

(Imagem destaque: Fagerhult Lighting / Flickr)

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !