Como evitar as DST’s


As consequências do ato sexual não se resumem apenas no prazer e na realização dos desejos carnais alimentados por duas ou mais pessoas. O sexo também pode ser o fator desencadeante das DST’s (Doenças Sexualmente Transmissíveis), que oferecem sérios riscos à saúde das pessoas infectadas pela falta de proteção e a instabilidade de parceiros na prática sexual.

Em muitos casos um indivíduo que está infectado com algum tipo de DST é o principal transmissor da doença e isso ocorre quando o mesmo não tem conhecimento da doença. É imprescindível que todos os adultos com vida sexual ativa realizem exames periódicos de sangue e se policiem das ameças transmitidas em forma de vírus durante o contato com as regiões genitais sob todas as formas (casual, anal ou oral).

5424545849 622db225d3 Como evitar as DST’sPrefeitura de Olinda/Flickr

DST’s – Tipos e Sintomas

A Aids é o tipo de doença sexualmente transmissível mais conhecida e preocupante, pois destrói gradualmente o sistema imunológico do paciente infectado pelo vírus HIV. Mas existem outros tipos de DST’s que precisam ser evitadas por quem possui ou não uma vida sexual ativa. São elas:

  • Candidíase – Manifesta-se através de corrimentos brancos, ardência, coceira e vermelhidão nos órgãos sexuais masculinos e femininos.
  • Gonorreia – Transmitida somente pelo ato sexual, podendo causar esterilidade na mulher e afetar negativamente na gestação, oferecendo riscos de cegueira ao bebê.
  • Cancro Mole – Outra doença transmitida através do sexo, ela causa corrimento e fortes dores nas mulheres durante o ato sexual, podendo ainda deixá-la estéril ou ser transmitida ao bebê na gestação. No homem, o cancro mole causa corrimento amarelado, ardência no órgão genital e sangramentos ao urinar.
  • Donovanose – DST que provoca feridas dolorosas nos órgãos genitais ou no ânus, intensificando-se com o passar do tempo.
  • Chato – Ocorre através de um piolho que atua, principalmente, nos pelos pubianos, provocando coceiras, vermelhidão e várias feridas pelo corpo.
  • Hepatite B – Transmitida pelo vírus HBV, esta DST provoca a fata de apetite, náuseas, febre, diarreia, vômitos, dores nas articulações e a mudança na coloração da pele, que fica mais amarelada.
  • Clamídia – DST que pode provocar esterilidade e gravidez tubária, além de ser identificada com dificuldade pelos pacientes, pois os sintomas tardam a surgir.
  • Condiloma – Pode provocar câncer de colo de útero e é transmitida através do vírus HPV, que se aloca na corrente sanguínea de forma permanente. É necessário seguir um tratamento ginecológico contínuo para o tratamento deste tipo de DST.
  • Linfogranuloma – Ocorre através do ato sexual e se manifesta sob a forma de feridas, ínguas e inchaços na virilha e nos órgãos sexuais masculinos ou femininos.
  • Tricomoníase – Ocasiona coceira, odores, ardência nos órgãos genitais e corrimento amarelado na urina. Os sintomas são mais característicos nas mulheres.
  • Sífilis – A sífilis se manifesta em três fases: Primeiro, sob a ocorrência de feridas nos órgãos genitais; depois se desenvolve através de manchas nas mãos e pés até se instaurar por completo na corrente sanguínea, ocasionando a cegueira, paralisia ou mesmo levando o paciente à óbito.

Secondary Syphilis on palms CDC 6809 lores.rsh  Como evitar as DST’sCDC/ Robert Sumpter/Wikimedia Commons

  • Herpes – É transmitido através de feridas ou bolhas existentes nos órgãos genitais durante o ato sexual, provocando ardência, vermelhidão e coceira.

Como evitar DST – Cuidados

Para evitar a infecção de qualquer tipo de doença sexualmente transmissível, é preciso praticar as seguintes recomendações:

  • Sempre utilizar camisinha em qualquer tipo de relação sexual;

5159801170 e8706b8fa6 Como evitar as DST’srobertelyov/Flickr

  • Jamais injetar seringas anteriormente utilizadas;
  • Realizar higiene íntima antes e depois do ato sexual, com água e sabonete neutro;
  • Manter-se vacinado e efetuar exames periódicos de sangue na identificação de DST’s;
  • Na gravidez, realizar exames durante o pré-natal da existência ou não de DST’s na corrente sanguínea e exigir atestado de autoexame em transfusões de sangue.

Observação: Na identificação de algum tipo de DST, o paciente deve seguir o tratamento recomendado por um especialista e sempre utilizar preservativos durante o ato sexual, ou evitar o sexo totalmente.

Evitar e prevenir outras pessoas sobre a infecção de doenças sexualmente transmissíveis são atitudes que todos devem praticar, quer pratiquem sexo ou não. As DST’s trazem grandes riscos à saúde e podem condenar, literalmente, uma pessoa infectada à morte, de acordo com sua ocorrência e evolução. Pratique sexo seguro. Use camisinha.

Boa Sorte!

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !