Como fazer farinha de maracujá


maracuja

A farinha de maracujá ganhou notoriedade após a descoberta de propriedades que melhoram a saúde, além de auxiliar no emagrecimento. A perda de peso foi comprovada por uma pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro realizada com 19 mulheres. Todas as participantes do estudo ingeriram 30g de farinha de maracujá diariamente e, sem modificar seus hábitos alimentares nem aumentarem a atividade física, emagreceram 2 Kg em dois meses.

Receita da farinha de maracujá

maracuja2 Como fazer farinha de maracujá

Materiais necessários:

  • Maracujás firmes e sem rugas
  • Assadeira
  • Forno pré-aquecido a 180°C
  • Liquidificador
  • Peneira

Modo de preparo:

  1. Após lavar os maracujás, corte-os ao meio e retire a polpa. A polpa não será utilizada na preparação da farinha.
  2. Divida a casca ao meio novamente de forma que a casca de cada maracujá seja dividida em 4 partes.
  3. Arrume as cascas em uma assadeira.
  4. Leve ao forno por 30 minutos, mexendo de vez em quando.
  5. Quando as cascas estiverem torradas, retire as cascas do forno.
  6. Espere esfriar.
  7. Bata no liquidificador até obter pequenos flocos.
  8. Peneire se restarem grumos na farinha.

Dica: é mais seguro consumir a farinha feita em casa do que a produzida industrialmente. Uma vez que nem todos os produtos são aprovados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), alguns fabricantes utilizam a parte amarela da casca para produzir a farinha. Entretanto, essa parte da casca é pobre em uma substância chamada pectina, que por sua vez, é encontrada em maior quantidade na porção branca da casca. A única desvantagem é que a farinha rende pouco.

Propriedades da farinha de maracujá

maracuja3 Como fazer farinha de maracujá

O composto responsável pelos benefícios da farinha de maracujá é a pectina. Essa substância faz parte da estrutura das plantas assim como a celulose e a lignina. Portanto, a pectina está presente em todos os alimentos ricos em fibras. A vantagem da farinha de maracujá em relação às frutas é que não contém açúcar, por isso seu uso é interessante em indivíduos diabéticos.

Depois de ingerida, a pectina se transforma em um gel que não pode ser digerido pelo organismo. Ao passar pelo estômago, essa gelatina não digerida ocupa um grande volume, transmitindo para o cérebro a informação de que não é necessário comer mais, o que favorece a perda de peso. No trajeto de todo o trato intestinal, a pectina se liga a carboidratos e ao colesterol e impede que eles sejam absorvidos pelo organismo, liberando-os nas fezes. Ao diminuir a absorção de carboidratos, a pectina atua reduzindo os níveis de açúcar no sangue. E, ao atuar no colesterol, age como uma substância cardioprotetora por diminuir o colesterol sanguíneo, minimizando as chances de obstrução das artérias.

Como usar a farinha de maracujá

maracuja1 Como fazer farinha de maracujá

De acordo com a Food and Agriculture Organization (FAO), departamento das Nações Unidas que coordena a produção e o uso correto dos alimentos, recomenda um consumo diário máximo de 30 gramas de fibras, pois seu consumo em excesso causa diarréia e, consequentemente, a perda de nutrientes. Uma colher de sopa da farinha de maracujá possui 3,5 g de fibras. Assim, algumas autoridades da Nutrição recomendam apenas uma colher de sopa no café da manhã. Enquanto outras indicam uma colher de sopa antes do almoço e outra antes do jantar.

A farinha pode ser misturada em saladas, sucos, iogurtes, ou salpicada no próprio almoço. Tenha apenas cuidado para não ingerir mais do que duas colheres de sopa diariamente para que você não tenha diarréia. Apesar de uma colher conter apenas 3,5g e o limite diário para fibras ser de 30g, ingerimos muitos outros alimentos ricos em fibras.

Atenção: nunca substitua os seus medicamentos pela farinha de maracujá. Embora ela atue reduzindo os níveis de glicose e colesterol, assim como auxiliando o emagrecimento, a pectina não trata doenças. Portanto, siga sempre as orientações médicas e consulte nutricionista se deseja emagrecer.

Boa sorte!

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !

2 replies to this post