Como fazer um bom trabalho escolar – Normas ABNT


trabalho escolar

1318369675 204950924 1 Fotos de Trabalhos escolares e para faculdade e dou aulas na area de informatica Como fazer um bom trabalho escolar   Normas ABNT

Em um momento ou outro todos nós tivemos ou teremos que fazer algum trabalho escolar/acadêmico. Até mesmo as crianças de ensino fundamental e médio têm feito trabalhos que são verdadeiros projetos de pesquisa. Projetos estes que podem ser levados a universidades, rederem bolsas e um futuro brilhante para quem os compuseram.

ciclo projeto pesquisa Como fazer um bom trabalho escolar   Normas ABNT

Na maioria das vezes a exigência de que tais trabalhos sejam feitos de forma independente e seguindo-se alguns preceitos acadêmicos acabam por deixar o aluno confuso sobre a forma como proceder. Comofas vem até vocês com este tutorial para esclarecer qualquer dúvida sobre como fazer um bom trabalho escolar.

fantasia colegial 223x300 Como fazer um bom trabalho escolar   Normas ABNT

Antes de continuar, confira outros artigos que podem ajudá-lo em seu trabalho escolar:

Passo a Passo

estudantes Como fazer um bom trabalho escolar   Normas ABNT

1)    Escolha um tema principal sobre algo que te interessa dentro da disciplina ou assunto a ser pesquisado. Caso seja seu primeiro trabalho do tipo, certifique-se de que se trate de um tema com muitas fontes de investigação (livros, artigos, bases de dados na internet, etc.). Estabeleça também uma pergunta ou objetivo geral para ser sanado ao final de sua pesquisa.

2)    Confirme com o seu professor se o assunto escolhido se adequada às exigências dele ou ao tipo de projeto a ser desenvolvido. Veja se ele concorda com seus objetivos e discuta com ele o que será preciso para a pesquisa e/ou execução do projeto em questão. Pergunte também quando tempo será necessário para concluir o trabalho.

3)    Especifique um objetivo claro para a sua pesquisa, aquilo que irá direcionar toda a sua busca. Caso contrário, diante do volume de informações encontradas, você poderá ficar perdido.

4)    Pesquise e leia a literatura que possa te ajudar a chegar ao seu objetivo. Invariavelmente algumas fontes serão mais indicadas que outras para o tema escolhido, verifique com seu professor. Mesmo que a leitura não te ajude a alcançar seu objetivo de imediato, ela faz-se necessária para a consolidação do seu conhecimento sobre o tema te ajudando na sistematização da busca.

5)    Crie um plano ou metodologia para sua pesquisa. Este plano irá te indicar os caminhos a serem percorridos até chegar à resposta ao tipo de objetivo estabelecido.

6)    Submeta seu plano de pesquisa à aprovação do seu professor. Ele irá te indicar as correções e acréscimos necessários além de sugerir melhorias novas e fontes de busca.

7)    Trabalhe conforme o planejado. Agora que já tem um plano de pesquisa é colocar as mãos a obra e se atentar para o prazo estabelecido.

8)    Resuma seus resultados de forma a ter tudo arquivado no momento da apresentação.

9)    Bons estudos!

 

Regras da ABNT

abnt regras Como fazer um bom trabalho escolar   Normas ABNT

1 – Definição

Referência: conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual. (NBR 6023, 2000)

2 Elementos da referência

A referência é constituída de elementos essenciais e quando necessário, acrescidos de elementos complementares.

2.1 Elementos essenciais: são informações indispensáveis à identificação do documento. Estão estritamente vinculados ao suporte documental e variam, portanto, conforme o tipo.

2.1 Elementos complementares: são informações que, acrescentadas aos elementos essenciais, permitem melhor caracterizar o documento.

3 Regras gerais de apresentação

3.1 Os elementos essenciais e complementares da referência devem ser apresentados em seqüência padronizada.

3.2 As referências são alinhadas somente à margem esquerda e de forma a se identificar individualmente cada documento.

3.3 O recurso tipográfico (negritoitálico ou grifo) é utilizado para destacar o elemento título da publicação, e deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento.

3.4 As referências devem ser digitadas, usando espaço simples entre as linhas e espaço duplo para separá-las.

3.5 As abreviaturas devem seguir a NBR10522

3.6 As referências podem ser ordenadas conforme o sistema utilizado para citação no texto, alfabética, cronológica e sistemática (por assunto). Nos trabalhos técnicos e científicos a ordenações mais utilizadas são: numérica (ordem de citação no texto) e alfabético (sistema autor data).

3.7 As referências devem ser listadas no final do trabalho.

4 Transcrição dos elementos

4.1 Autoria

Pessoa(s) física(s) responsávei(s) pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de um documento.

4.1.1 Um autor

Indica(m)-se o(s) autor(es) pelo último sobrenome, em letras maiúsculas, seguido(s) do(s) prenome(s) e outro(s) sobrenome(s), abreviados ou não.

Exemplo

QUEIRÓZ, E. O crime do Padre Amaro. 25. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2000. 277 p.

4.1.2 Dois ou três autores

Quando houverem dois ou três autores, os nomes devem ser separados por ponto-e-vírgula, seguido de espaço.

Exemplo

ADES, L.; KERBAUY, R. R. Obesidade: realidade e indignações. Psicologia USP, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 197-216, 2002.

4.1.3 – Mais de três autores

Quando existirem mais de três autores, indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão latina et al.

Exemplo

PETERSON, L. et al. Improvement in quantity and quality of prevention measurement of toddler injuries and parental interventions. Behavior Therapy, New York, v. 33, n. 2, p. 271-297, 2002.

4.1.4 Responsabilidade intelectual diferente de autor

Quando houver indicação explícita de responsabilidade pelo conjunto da obra, em coletâneas de vários autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida pela abreviatura singular do mesmo, (organizador, coordenador, editor etc.), entre parênteses.

Exemplos

BARTUCCI, G. (Org.). Psicanálise, literatura e estéticas de subjetivação. Rio de Janeiro: Imago, 2001. 408 p.

OLIVEIRA, V. B.; BOSSA, N. A. (Org.). Avaliação psicopedagógica da criança de sete a onze anos. Petrópolis: Vozes, 1996. 182 p.

4.1.5 Autoria desconhecida

Em caso de autoria desconhecida, a entrada é feita pelo título.

Exemplo

CONSULTORIO del amor: edicación sexual, creatividad y promoción de salud. La Habana: Academia, 1994. 137 p.

4.1.6 Outros tipos de responsabilidade

Quando necessário, acrescentam-se outros tipos de responsabilidade logo após o título, conforme aparecem no documento.

Exemplos

DAVIS, F. A comunicação não-verbal. Tradução de Antonio Dimas. São Paulo: Summus, 1979. 196 p.

4.1.7 Autoria cooperativa

As obras de responsabilidade de entidades coletivas (órgão governamentais, empresas, associações, congressos, seminários, etc.) têm entrada pelo seu próprio nome, por extenso em caixa alta considerando a subordinação hierárquica quando houver.

Exemplo

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referência – elaboração. Rio de Janeiro, 2000.

4.1.8 Entidade com denominação genérica

Quando a entidade tem uma denominação genérica, seu nome é precedido pelo nome do órgão superior, ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence.

Exemplo

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Manjuba (ancharella lepidentostole) no rio Ribeira de Iguape. São Paulo: Ibama, 1990. 125 p.

4.1.9 Pseudônimo

Obras onde o autor utilize o pseudônimo o mesmo deve ser considerado para a entrada quando o documento for referenciado. Quando o verdadeiro nome for conhecido, deve-se indicá-lo entre colchetes após o pseudônimo.

PSEUDÔNIMO, (Nome verdadeiro). Título: subtítulo se houver. Local de publicação: Editora, Ano. Total de páginas.

Exemplo

TAHAN, M. (Julio César de Mello e Souza) A arte de ser um perfeito mau professor. Rio de janeiro: Editora Vecchi, 1967. 122p.

4.2 – Título e subtítulo

a) Os títulos e subtítulos devem ser separados por dois pontos.

Exemplo

FOUCAULT, M. Historia da sexualidade: a vontade de saber. 3. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

4.3 Periódico no todo

Quando se referenciam periódicos no todo (coleção), ou integralmente um número ou fascículo, o título da publicação deve ser sempre o primeiro elemento da referência, escrito em caixa alta.

Exemplo

REVISTA BRASILEIRA DE MUSICOTERAPIA. Rio de Janeiro: União Brasileira das Associações de Musicoterapia, 1996-2001.

4.4 – Edição

a) Quando houver uma indicação de edição, esta deve ser transcrita, utilizando-se abreviatura dos numerais ordinais e da palavra “edição” (ed.), ambos da forma adotada na língua do documento.

Exemplos

SILVA, A. C. P. Psiquiatria clínica e forense. 2. ed. São Paulo: Renascença, 1951.

ADLER, N. J. International dimensions of organizational behavior. 4th ed. Cincinnati: South-Western, 2002. xv, 391 p.

Obs.: Não se menciona a 1ª edição.

4.4.1 Emendas e acréscimos

Indicam-se emendas e acréscimos à edição, de forma abreviada.

Exemplo

FERREIRA, A. B. H. Aurélio século XXI: o dicionário da Língua Portuguesa. 3. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. 2128p.

4.5 Local da publicação

a) O nome do local (cidade de publicação) deve ser indicado como figura no documento.

Exemplo

PFROMM NETO, S. Psicologia: introdução e guia de estudo. 2. ed. São Paulo: EPU, 1990.

b) No caso de homônimos de cidades, acrescenta-se o nome do estado, do país etc.

c) Quando houver mais de um local para uma só editora, indica-se o primeiro ou o mais destacado.

d) Quando a cidade não aparece no documento, utiliza-se a expressão Sine loco, abreviada, entre colchetes [S.l.].

Exemplo

CEBOLA, L. Grandes crises do homem: ensaio de psicopatologia. [S. l.]: Temp, 1945.

4.6 Editora

a) O nome da editora deve ser indicado tal como figura no documento, abreviando-se os prenomes e suprimindo-se as palavras que designam a natureza jurídica ou comercial, desde que sejam dispensáveis para a identificação.

Exemplo

BUSH, C. A. A música e a terapia das imagens: caminhos para o eu interior. Tradução de Afonso Teixeira Filho. São Paulo: Cultrix, 1995.

(Nota: No documento Editora Cultrix)

b) Quando houver mais de uma editora, indica-se a que aparecer com maior destaque na página de rosto. Se os nomes das editoras estiverem com igual destaque, registra-se todas com os respectivos destaques.

Exemplo

AFONSO-GOLDBARB, A. M.; MAIA, C. A. (Coord.). História da ciência: o mapa do conhecimento. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura; São Paulo: EDUSP, 1995. 968 p.

c) Quando a editora não é identificada, utiliza-se a expressão sine nomine abreviada, entre colchetes [s.n.]

Exemplo

PETERS, L. H. Administração e sociedade. São Paulo: [s. n.], 1975. 196 p.

d) Quando o local e a editora não puderem ser identificados na publicação, utilizam-se ambas as expressões, abreviadas, entre colchetes. [S.l., s.n.].

e) Quando a editora é a mesma instituição responsável pela autoria e já tiver sido mencionada, não é indicada.

Exemplo

AMERICAN PSYCHOLOGICAL ASSOCIATION. Apa membership register: 1982. Washington, 1982.

4.7 Data da publicação

a) A data da publicação deve ser indicada sempre em algarismos arábicos. Por se tratar de um elemento essencial na referência, quando não constar no documento a data da publicação, deve ser indicada uma data, seja da impressão, do copyright ou outra.

b) Se nenhuma data puder ser determinada, registra-se uma data aproximada entre colchetes, conforme indicado:

Exemplo

  • [1974 ou 1975] um ano ou outro
  • [1968?] data provável
  • [1984] data certa, não indicada no item
  • [189-] década certa
  • [189-?] década provável
  • [18--] século certo
  • [18--?] século provável

c) Os meses devem ser indicados de forma abreviada, no idioma original da publicação. Não se abreviam palavras de quatro ou menos letras.

Exemplo

BERTOLUCCI, P. H. F. Demência em jovens: exame inicial e causas mais comuns. Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 31-42, jul./dez. 2000.

d) Caso existam duas data, ambas podem ser indicadas, desde que a relação entre elas sejam mencionadas.

Exemplo

RUCH, G. História geral da civilização: da Antigüidade ao XX século. Rio d Janeiro: F. Briguet, 1926-140. 4v., il.

4.8 Descrição física

Deve-se registrar o número que aparece na última página, folha ou coluna de cada seqüência, respeitando-se a forma utilizada no documento.

Exemplo

ADLER, N. J. International dimensions of organizational behavior. 4th ed. Cincinnati: South-Western, 2002. xv, 391 p.

4.8.1 Documento em um único volume

Quando o documento for constituído de apenas uma unidade física (um volume), deve-se indicar o número total de páginas ou folhas seguido da abreviatura “p.” ou “f.”. Alguns trabalhos como dissertações e teses são impressas apenas no anverso, neste caso indica-se f.

Exemplo

NASCIMENTO, S. R. Oscilações no desempenho de motoristas profissionais, motoristas pluriacidentados e não-motoristas em tarefas de atenção mantida. 2001. 65 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.

4.8.2 Documento em mais de um volume

Quando o documento for publicado em mais de uma unidade física (mais de um volume) deve-se indicar a quantidade de volumes, seguidos da abreviatura “v.”

Exemplo

CAPOVILLA, F. C.; RAPHAEL, W. D. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngüe da língua de sinais brasileira. São Paulo: EDUSP, 2001. 2 v.

4.8.3 Partes de publicações

Quando se referenciarem partes de publicações, deve-se mencionar os números das páginas inicial e final, precedido da abreviatura “p.”

Exemplo

GIANNOTTI, A. Psicologia nas instituições médicas e hospitalares. In: OLIVEIRA, M. F. P.; ISMAEL, M. C. (Org.). Rumos da psicologia hospitalar em cardiologia. Campinas: Papirus, 1996. p. 14-28.

Obs.:Quando a publicação não for paginada ou a numeração for irregular, deve-se indicar esta característica (Paginação irregular)

4.9 Séries e coleções

Após todas as indicações sobre os aspectos físicos, podem ser incluídas as notas relativas a séries e/ou coleções. Indicam-se os títulos das séries e coleções e sua numeração tal como aparecem no documento.

Exemplo

VERNE, J. Volta ao mundo em 80 dias. São Paulo: Novo Brasil, 1984. 277 p. (Os Grandes Clássicos da Literatura, v. 1).

5 Modelos de referências

5.1 Monografia

Inclui livros, folhetos, trabalhos acadêmicos (dissertações, teses etc), manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário etc.

Elementos essenciais: autor(es), título, subtítulo (se houver), edição, local, editora e data de publicação.

Elementos complementares: indicação de outros tipos de responsabilidade (tradutor, revisor etc), páginas e/ou volumes, série ou coleção entre outros.

5.2 Livro no todo

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local de publicação: Editora, data de publicação da obra. Nº de páginas ou volume. (Coleção ou série)

Exemplo

AZEVEDO, M. A.; GUERRA, V. N. A. Mania de bater: a punição corporal doméstica de crianças e adolescentes no Brasil. São Paulo: Iglu, 2001. 386 p.

SOBRENOME, PRENOME abreviado. (data da primeira edição). Título: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local de publicação: Editora, data de publicação da obra. Nº de páginas ou volume. (Coleção ou série)

Exemplo

FREUD, S. (1909). Duas histórias clínicas (o pequeno Hans e o homem dos ratos). Trad. Sob a direção de Jayme Salomão. Rio de Janeiro, Iamgo, 1977. (Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v.10).]

Obs.: A primeira data (1909), refere-se a data da 1ª edição a segunda (1977) refere-se á edição consultada.

5.3 Dissertação ou Tese

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver). Data de defesa. Total de folhas. Tese (Doutorado) ou Dissertação (Mestrado) – Instituição onde a Tese ou Dissertação foi defendida. Local e data de   defesa. Descrição física do suporte

Exemplo

FANTUCCI, I. Contribuição do alerta, da atenção, da intenção e da expectativa temporal para o desempenho de humanos em tarefas de tempo de reação. 2001. 130 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2001.

5.4 Dicionário

SOBRENOME, PRENOME abreviado  Título do dicionário: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local de publicação: Editora, data de publicação.

Exemplo

FERREIRA, A. B. H. Aurélio século XXI: o dicionário da Língua Portuguesa. 3. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

5.5 Folheto

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título do folheto: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local de publicação, data de publicação, total de páginas.

Exemplo

IBICT. Manual de normas de editoração do IBICT. 2. ed. Brasília, DF, 1993, 41 p.

5.6 Manual

SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor do  manual. Título do manual: subtítulo (se houver). Tradutor (se houver).  Local de publicação: Editora, data de publicação, total de páginas.

Exemplo

AMERICAN PSYCHOLOGICAL ASSOCIATION. Manual de publicação da American Psychological Association. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: ARTMED, 2002. 329 p.

5.7 Parte de monografia

Inclui capítulo, fragmento e outras partes de uma obra com autor(es) e/ou título próprio.

Elementos essenciais: autor(es), título, subtítulo (se houver) da parte, seguido da expressão In: e da referência completa da monografia. No final da referência, deve-se informar a paginação da parte referenciada.

5.8 Capítulo de livro

SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor do capítulo. Título: subtítulo (se houver) do capítulo. In: AUTOR DO LIVRO (tipo de participação do autor na obra, Org(s), Ed(s) etc. se houver). Título do livro: subtítulo do livro  (se houver). Local de publicação: Editora, data de publicação. paginação referente ao capítulo.

Exemplo

BANKS-LEITE, L. As questões lingüísticas na obra de Piaget: apontamentos para uma reflexão crítica. In: ________. (Org.). Percursos piagetianos. São Paulo: Cortez, 1997. p. 207-223.

GRIZE, J. B. Psicologia genética e lógica. In: BANKS-LEITE, L. (Org.). Percursos piagetianos. São Paulo: Cortez, 1997. p. 63-76.

Obs.: O destaque é para o título do livro e não para o título do capítulo. Quando se referencia várias        obras do mesmo autor, substitui-se o nome do autor por um traço equivalente a seis espaços.

5.9 Periódicos

Inclui coleção como um todo, volume ou fascículo de revista, número de jornal, caderno etc., na íntegra, ou a matéria existente em (artigos, matérias jornalísticas, editoriais, reportagens etc).

5.9.1 Artigo e/ou matéria de periódico

Elementos essenciais: autor(es), título do artigo ou matéria, subtítulo (se houver), título da publicação, local de publicação, título do fascículo, suplemento, número especial (quando houver). Indicação de volume, fascículo ou número, paginação inicial e final do artigo ou matéria, informações de período e data de publicação.

5.9.1.1 Artigo de periódico

SOBRENOME, PRENOME; SOBRENOME, PRENOME abreviado  abreviado  Título: subtítulo (se houver). Nome do periódico, Local de publicação, volume, número ou fascículo, paginação, data de publicação do periódico.

Exemplos

SILVA, V. A.; ANDRADE, L. H. C. Etinobotânica Xucuru: espécies místicas. Biotemas, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 45-57, 2002.

SANTEIRO, T. V. Criatividade em psicanálise: produção científica internacional (1996-1998). Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 43-59, jul./dez. 2000.

Obs.: o destaque é para o título do periódico, o subtítulo não é destacado.

5.9.1.1.1 Artigo de periódico com data original

SOBRENOME, PRENOME abreviado. (data origina). Título: subtítulo (se houver). Nome do periódico, Local de publicação, volume, número ou fascículo, paginação, data de publicação do periódico.

Exemplo

SKINNER, B. (1981).  Selection by consequences.  Behavioral and Brain Sciences, v.7, p.477-481, 1984.

5.10  Artigo de jornal

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver). Nome do jornal, Local de publicação, pagina, data de publicação do jornal com o mês abreviado.

Exemplo

ADES, C. Os animais também pensam: e têm consciência. Jornal da Tarde, São Paulo, p. 4D, 15 abr. 2001.

Obs.: o destaque é para o nome do jornal.

5.11 Artigo em vias de publicação (No prelo)

SOBRENOME, PRENOME(S) abreviado . Título: subtítulo (se houver). Nome da publicação. No prelo

Exemplo

SAMPAIO, M. I. C.; PEIXOTO, M. L. Periódicos brasileiros de psicologia indexados nas bases de dados LILACS e PsycInfo. Boletim de Psicologia. No prelo.

5.12  Resenha

SOBRENOME, PRENOME abreviado do(s) autor(es) do livro. Título: subtítulo (se houver) do livro. Local de publicação: Editora, data de publicação do livro. Resenha de: SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor da resenha. Título da resenha: subtítulo (se houver). Nome do periódico, volume, número ou fascículo, paginação, data de publicação da revista

Exemplo

CARONE, I. Psicanálise fim de século. Ensaios críticos. São Paulo: Hacker, 1998. Resenha de: FRAYZE-PEREIRA, J. A. Da possibilidade da crítica à cultura: psicanálise e filosofia. Revista Brasileira de Psicanálise, v. 35, n. 2, p. 403-405, 2001.

5.13 Entrevista/Depoimento

SOBRENOME, PRENOME abreviado do entrevistado. Título: subtítulo (se houver) do artigo: depoiment. [data da publicação do documento]. Local de publicação: nome do documento. Entrevista concedida a fulano de tal.

Exemplo

SILVA, A. A. Mulheres no ataque: depoimento. [9 de junho, 1996]. São Paulo: Revista da Folha de São Paulo. Entrevista concedida a Cristiana Couto.

5.14 Editorial publicado em revista

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver). [Editorial]. Nome da revista, volume, número ou fascículo, paginação, mês(s) abreviado, ano..

Exemplo

ABREU E SILVA NETO, N. Pelo desenvolvimento no Brasil da psicologia científica. [Editorial]. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v.15,  n.1,  p. iii-iv, set./dez., 1999.

5.15 Documento de evento

Inclui trabalhos apresentados em eventos (parte do evento) ou o conjunto de documentos, reunidos num produto final do próprio evento (atas, anais, proceedings etc)

5.15.1 Evento como um todo

Elementos essenciais: nome do evento, numeração (se houver), ano e local de realização. Em seguida deve-se mencionar o título do documento (anais, resumos, atas etc), seguido dos dados do local de publicação, editora e data de publicação.

5.15.2 Anais no todo

Título: subtítulo (se houver) do evento, número., ano. Local de realização do evento. Anais…Local de publicação dos anais: Editora, ano. Total de página.

Exemplo

REUNIÃO ANUAL DE PSICOLOGIA, 18., 1988. Ribeirão Preto. Anais… Ribeirão Preto: Sociedade de Psicologia de Ribeirão Preto, 1988. 765 p.

5.15.3 Resumo publicado

Título: subtítulo (se houver) do evento, número., ano. Local de realização do evento. Resumo. Local de publicação do resumo: Editora, ano. Total de página.

Exemplo

REUNIÃO ANUAL DE PSICOLOGIA, 31., 2001. Rio de Janeiro. Resumos de Comunicações Científicas. Rio de Janeiro: SBP, 2001. 346 p.

5.15.4 Trabalho publicado em anais, resumos, e outras publicações de eventos

Elementos essenciais: autor(es), título do trabalho apresentado, subtítulo (se houver), seguido da expressão In: título do evento, numeração do evento, ano e local de realização, título do documento,(Anais, Atas, Tópicos temáticos) local, editora, data de publicação, página inicial e final da parte.

5.15.5 Resumo de trabalho publicado

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver) In: NOME DO EVENTO, número., ano. Local de realização do evento. Resumos… Local de publicação dos resumos: Editora, ano. Total de página.

Exemplos

CASTRO, R. E. F.; MELO, M. H. S.; SILVARES, E. F. M. Avaliação da percepção dos pares de crianças com dificuldades de interação em uma sucursal da clínica-escola do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. In: CONGRESSO INTERNO DO INSTITUTO DE PSICOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, 5., 2001, São Paulo. Resumos… São Paulo: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2001. p. 49.

BRAGA, T. M. S.; KERBAUY, R. R. Hypertension: indications for an intervention program. In: CHANGING BEHAVIOR: HEALTH AND HEALTHCARE, HEALTHPSYCHOLOGY, 5., 2001, Scotland. Abstract…Scotland: European Health Psychology Society/British Psychological Society, 2001. p. 79.

5.15.6 Trabalho publicado em Anais de Congresso

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver) In: NOME DO EVENTO, número., ano. Local de realização do evento. Anais… Local de publicação dos resumos: Editora, ano. paginação.

Exemplos

AMARAL, L. A. Atividade física e diferença significativa/deficiência: algumas questões psicossociais remetidas à inclusão/convívio pelo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ATIVIDADE MOTORA ADAPTADA, 4., 2001, Curitiba. Anais… Curitiba: SOBAMA, 2001. p. 30-31.

AZEVEDO, M. A.; GUERRA, V. N. A. Quando a violência doméstica contra crianças e adolescentes pode ser considerada terror? In: CONGRESSO LATINOAMERICANO DE PREVENCIÓN Y ATENCION DEL MALTRATO INFANTIL, 6., 2001, Buenos Aires. Anais… Buenos Aires, 2001.

5.16 Documentos em meio eletrônico

Os elementos essenciais para referenciar os documentos em meio eletrônico são os mesmos recomendados para documentos impressos, acrescentando-se, em seguida, as informações relativas a descrição física do meio ou suporte (CD, disquete). Quando se tratar de obras consultadas on line, são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso do documento, precedido da expressão Acesso em:

5.16.1 Trabalho publicado em CD

SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor do trabalho. Título: subtítulo (se houver) In: NOME DO EVENTO, número., ano. Local de realização do evento. Anais… Local de publicação dos Anais: Editora, ano. Descrição física do suporte.

Exemplo

RIBEIRO, R. Psicologia social e desenvolvimento do terceiro setor: participação da Universidade. In: CONGRESSO NORTE NORDESTE DE PSICOLOGIA, 2., 2001, Salvador. Anais… Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2001. 1 CD.

5.16.2 Artigo publicado em periódico eletrônico

SOBRENOME, PRENOME(s) abreviado. Título: subtítulo (se houver). Nome do periódico, local de publicação, volume, número ou fascículo, mês(s) abreviado. ano. <endereço da URL>. Data de acesso:

PAIVA, G. J. Dante Moreira Leite: um pioneiro da psicologia social no Brasil. Psicologia USP, São Paulo, v. 11, n. 2, jul./ago. 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/>. Acesso em: 12 mar. 2001.

5.16.3 Verbete de enciclopédia eletrônica

SOBRENOME, PRENOME abreviado. Título: subtítulo (se houver) In: SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor da Enciclopédia. Título da enciclopédia. Disponível em: <endereço da URL>. Data de acesso

Exemplo

FOULKES, H.; CARTWRIGHT, R.  Sleep. In: ________Encyclopedia Britânica On-line. Disponível em: <http://www.britanica.com/bcom/eb/article>. Acesso em 5 de fev. 2000.

5.16.4 Documento publicado na Internet

AUTOR(ES). Título: subtítulo (se houver) Disponível em:<endereço da URL>. Data de acesso

Exemplo

FACULDADE DE AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Manual de referências bibliográficas. Disponível em: http://www.ufrgs.br/agronomia/manualcap1.htm. Acesso em: 20 de ago. 2002.

5.17 Fitas de vídeo

SOBRENOME, PRENOME(s) dos produtores e diretores.  Título: subtítulo (se houver). [Filme-vídeo]. Produção de Nome do Produtor, direção de Nome do diretor.. Local, Instituição, ano. Descrição física do material, duração do filme. Descrição do tipo. som.

Exemplo

CAPOVILLA, F. C.; GUIDI, M. A. A. Recursos de hardware para análise experimental do comportamento humano. [Filme-vídeo]. Produção de Fernando César Capovilla, direção de Mário Arturo Guidi. São Paulo, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 1990. 1 cassete VHS / NTSC, 22 min. color. son.

5.18 Documentos legislativos

JURISDIÇÃO. (ou cabeçalho da entidade no caso de se tratar de normas), título. Edição. Local: Editora, ano. Total de páginas.

Exemplo

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. 5ª ed. São Paulo: Saraiva, 1995. 210p.

5.19 Correspondência (cartas, telegramas)

SOBRENOME, PRENOME. do Remetente.. [Tipo de correspondência] data, local de emissão [para] SOBRENOME, PRENOME do Destinatário. Local a que se destina. total de folhas. Assunto em forma de nota.

Exemplo

SANTOS, P. [Carta] 27 jun. 1999, São Paulo [para] SILVA, M., Porto Alegre. 3f. Solicita informação sobre linha de pesquisa da Faculdade de Agronomia da UFRGS.



COMO FAZER REFERÊNCIAS
(bibliográficas, eletrônicas e demais formas de documentos)

Maria Bernardete Martins Alves

Susana Margareth Arruda

[email protected]

[email protected]

Universidade Federal de Santa Catarina – Biblioteca Universitária, Fone: 331-9310 – fax: 3319603
Campus Universitário – Caixa Postal 476 – CEP 88.040.900
Trindade – Florianópolis – Santa Catarina – Brasil
Copyright©2000 de Maria Bernardete Martins Alves e Susana M. de Arruda
Este documento pode ser copiado e disponibilizado eletronicamente, desde que forma e conteúdo sejam mantidos
Atualizada em setembro de 2002, conforme NBR-6023/2002

1  REFERÊNCIA

1.1  Referência é a representação dos documentos efetivamente citados no trabalho.

D Nota: Para documentos consultados pode-se fazer uma lista adicional usando o título “Obras cosultadas“.

2  ELEMENTOS ESSENCIAIS & ELEMENTOS COMPLEMENTARES SEPARADOS POR TIPO DE PUBLICAÇÃO

2.1.  Monografia  no todo (livros, dissertações, teses etc…)

2.1.1 Dados essenciais:

  • Autor;
  • Título e subtítulo;
  • Edição (número);
  • Imprenta (local: editora e data).

2.1.2 Dados complementares:

  • Descrição física (número de páginas ou volumes), ilustração, dimensão;
  • Série ou coleção;
  • Notas especiais;
  • ISBN.

2.2  Partes de monografias (trabalho apresentado em congressos, capítulo de livro, etc…)

2.2.1 Dados essenciais:

  • Autor da parte referenciada;
  • Título e subtítulo da parte referenciada, seguidos da expressão “In:” ;
  • Referência da publicação no todo (com os dados essenciais);
  • Localização da parte referenciada (páginas inicial e final).

2.2.2 Dados complementares:

  • Descrição física;
  • Série;
  • Notas especiais;
  • ISBN.

2.3  Publicações Periódicas ( revistas, boletins etc…) coleção.

2.3.1 Dados essenciais:

  • Título do periódico, revista, boletim;
  • Local de publicação, editora, data de inicio da coleção e data de encerramento da publicação, se houver.

2.3.2  Dados complementares:

  • Periodicidade;
  • Notas especiais (mudanças de título ou incorporações de outros títulos, indicação de índices);
  • ISSN.

2.3.3 Fascículos, suplementos, números especiais com título próprio

2.3.3.1  Dados essenciais:

  • Título da publicação;
  • Título do fascículo, suplemento, número especial;
  • Local de publicação, editora;
  • Indicação do volume, número, mes e ano e total de páginas.

2.3.3.2 Dados complementares:

  • Nota indicativa do tipo do fascículo, quando houver (p. ex.: ed. especial);
  • Notas especiais.

2.3.4 Partes de publicações periódicas (Artigos)

2.3.4.1 Dados essenciais:

  • Autor do artigo;
  • Título do artigo, subtítulo (se houver);
  • Título do periódico, revista ou boletim;
  • Título do fascículo, suplemento, número especial (quando houver);
  • Local de publicação;
  • Indicação do volume, número, mês e ano e páginas inicial e final;
  • Período e ano de publicação.

2.3.4.2 Dados complementares:

  • Nota indicativa do tipo de fascículo quando houver (p. ex.: ed. especial);
  • Notas especiais.

2.4  Artigos em jornais

2.4.1 Dados essenciais:

  • Autor do artigo;
  • Título do artigo, subtítulo (se houver);
  • Título do jornal;
  • Local de publicação;
  • Data com dia. mês e ano;
  • Nome do cademo ou suplemento, quando houver;
  • Página ou páginas do artigo referenciado.

DNota:Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo precede a data.

3 ORDENAÇÃO DAS REFERÊNCIAS

3.1  As referências podem ter  uma ordenação alfabética, cronológica e sistemática (por assunto). Entretanto neste manual, sugerimos a adoção da ordenação alfabética ascendente.

3.2  Autor repetido: Quando se referencía várias obras do mesmo autor, substitui-se o nome do autor das referências subsequêntes por um traço equivalente a seis espaços.

3.3  Localização: As referências bibliográficas podem vir:

  • Em listas após o texto, antecedendo os anexos;
  • No rodapé;
  • No fim do capítulo;
  • Antecedendo resumos, resenhas e recensões.

4.  ASPECTOS GRÁFICOS

4.1  Espaçamento: as referências devem ser digitadas, usando espaço simples entre as linhas e espaço duplo para separá-las.

4.2  Margem: As referências são alinhadas somente à margem esquerda.

4.3   Pontuação:

  • Usa-se ponto após o nome do autor/autores, após o título, edição e no final da referência;
  • Os dois pontos são usados antes do subtítulo, antes da editora e depois do termo In:;
  • A virgula é usada após o sobrenome dos autores, após a editora, entre o volume e o número, páginas da revista e após o título da revista;
  • O Ponto e vírgula seguido de espaço é usado para separar os autores;
  • O hífen é utilizado entre páginas (ex: 10-15) e, entre datas de fascículos seqüenciais (ex: 1998-1999);
  • A barra transversal é usada entre números e datas de fascículos não seqüenciais (ex: 7/9, 1979/1981);
  • O colchetes é usado para indicar os elementos de referência,  que não aparecem na obra referenciada, porém são conhecidos (ex: [1991]);
  • O parêntese é usado para indicar série, grau (nas monografias de conclusão de cusrso e especialização, teses e dissertações) e para o título que caracteriza a função e/ou responsabiblidade, de forma abreviada. (Coord., Org., Comp.).
  •     Ex: BOSI, Alfredo (Org.)
  • As Reticências são usadas para indicar supressão de títulos.

Ex: Anais…

4.4  Maiúsculas: usa-se maiúsculas ou caixa alta para:

  • Sobrenome do autor
  • Primeira palavra do título quando esta inicia a referência ( ex.: O MARUJO)
  • Entidades coletivas (na entrada direta)
  • Nomes geográficos (quando anteceder um orgão governamental da administração: Ex: BRASIL.  Ministério da Educação);
  • Títulos de eventos (congressos, seminários etc.)

4.5  Grifo: usa-se grifo,   itálico ou negrito para:

  • Título das obras que não iniciam a referência
  • Título dos periódicos;
  • Nomes científicos, conforme norma própria.

4.6  Abreviaturas devem ser conforme a NBR10522

5  AUTORIA

5.1 Autor Pessoal

Nota: “Indicar o sobrenome, em caixa alta, seguido do prenome, abreviado ou não desde que haja padronização neste procedimento, separados entre si por ponto e vírgula seguidos de espaço” (NBR 6023)

5.1.1 Um Autor

SCHÜTZ, Edgar. Reengenharia mental: reeducação de hábitos e programação de metas. Florianópolis: Insular, 1997.

104 p.

5.1.2 Dois Autores

SÓDERSTEN, Bo; GEOFREY, Reed. International economics. 3. ed. London: MacMillan, 1994. 714 p.

5.1.3 Três Autores

NORTON, Peter; AITKEN, Peter; WILTON, Richard. Peter Norton: a bíblia do programador. Tradução: Geraldo Costa Filho. Rio de Janeiro: Campos, 1994. 640 p.

5.1.4 Mais de três Autores

BRITO, Edson Vianna, et al. Imposto de renda das pessoas físicas: livro prático de consulta diária. 6. ed. atual. São Paulo: Frase Editora, 1996. 288 p.

D Nota:Quando houver mais de três autores, indicar apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al. Em casos especificos tais como projetos de pesquisa científica nos quais a menção dos nomes for indispensável para certificar autoria, é facultado indicar todos os nomes.

5.1.5 Autor Desconhecido

Nota: Em caso de autoria desconhecida a entrada é feita pelo título. o termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido.

PROCURA-SE um amigo. In: SILVA, Lenilson Naveira e. Gerência da vida: reflexões filosóficas. 3. ed.  Rio de Janeiro: Record, 1990. 247. p. 212-213.

5.1.6  Pseudônimo:

DNota: Quando o autor da obra adotar pseudônimo na obra a ser referenciada, este deve ser considerado para entrada. Quando o verdadeiro nome for conhecido, deve-se indicá-lo entre colchetes após o pseudônimo.

ATHAYDE, Tristão de [Alceu Amoroso Lima]. Debates pedagógicos.  Rio de Janeiro:  Schmidt, 1931.

5.2 Organizadores, compiladores, editores, adaptadores etc.

DNotaQuando a responsabilidade intelectual de uma obra for atribuída a um organizador, editor, coordenador etc., a entrada da obra é feita pelo sobrenome, seguido das abreviaturas correspondentes entre parênteses.Quando houver mais de um organizador ou compilador, deve-se adotar as mesmas regras para autoria (ítens: 5.1 a 5.5)

BOSI, Alfredo (Org.). O conto brasileiro contemporâneo. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 1978. 293 p.

 5.3  Autor Entidade Coletiva (Associações, Empresas, Instituições).

DNota:Obras de cunho administrativo ou legal de entidades independentes, entrar diretamente pelo nome da entidade, em caixa alta, por extenso, considerando a subordinação hierárquica, quando houver

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Instituto Astronômico e Geográfico. Anuário astronômico. São Paulo, 1988. 279 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM. Centro de Estudos em Enfermagem. Informações pesquisas e pesquisadores em Enfernagem. São Paulo, 1916. 124 p.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (Brasil). Classificação Nacional e patentes. 3. ed. Rio de Janeiro, 1979. v. 9.

DNota:Quando a entidade, vinculada a um órgão maior, tem uma denominação espeífica que a identifica, a entrada é feita diretamente pelo seu nome. Nomes homônimos, usar a área geográfica, local.

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Bibliografia do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Divisão de Publicações, 1971.

BIBLIOTECA NACIONAL (Lisboa). Bibliografia Vicentina. Lisboa: [s.n.], 1942.

5.3.1  Orgãos governamentais

DNota: Quando se tratar de orgãos governamentais da administração (Ministérios, Secretarias e outros) entrar pelo nome geográfico em caixa alta (país, estado ou município), considerando a subordinação hierárquica, quando houver.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Secretaria de Formação e Desenvolvimento Profissional. Educação profissional:  um projeto para o desenvolvimento sustentado. Brasília: SEFOR, 1995. 24 p.

5.4  Tradutor, prefaciador, ilustrador, etc.

DNota: Quando necessário, acrescenta-se informações referentes à outros tipos de responsabilidade logo após o título, conforme aparece no documento.

SZPERKOWICZ, Jerzy. Nicolás Copérnico: 1473-1973. Tradução de Victor M. Ferreras Tascón, Carlos H. de León Aragón. Varsóvia: Editorial Científica Polaca, 1972. 82 p.

6  ELABORAÇÃO REFERÊNCIAS

6.1 Monografias consideradas no todo

DNotaMonografia é um estudo minuncioso que se propõe a esgotar determinado tema relativamente restrito. (cf. Novo dicionário da língua portuguesa, 1986)
AUTOR DA OBRA. Título da obra: subtítulo. Número da edição. Local de Publicação: Editor, ano de publicação. Número de páginas ou volume(Série). Notas.

6.1.1  Livros

DINA, Antonio. A fábrica automática e a organização do trabalho. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1987. 132 p.

6.1.2  Dicionários

AULETE, Caldas. Dicionário contemporâneo da Língua Portuguesa. 3. ed. Rio de Janeiro: Delta, 1980. 5 v.

6.1.3  Atlas

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Atlas celeste.  5. ed. Petrópolis: Vozes, 1984. 175 p.

6.1.4  Bibliografias

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃOEM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Bibliografia Brasileira de Ciência da Informação: 1984/1986. Brasília: IBICT, 1987

6.1.5  Biografias

SZPERKOWICZ, Jerzy. Nicolás Copérnico: 1473-1973. Tradução de Victor M. Ferreras Tascón, Carlos H. de León Aragón. Varsóvia: Editorial Científica Polaca, 1972. 82 p.

6.1.6 Enciclopédias

THE NEW Encyclopaedia Britannica: micropaedia. Chicago: Encyclopaedia Britannica, 1986. 30 v.

6.1.7 Bíblias
BÍBLIA. Língua. Título da obra. Tradução ou versão. Local: Editora, Data de publicação. Total de páginas. Notas (se houver).

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueredo. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica, 1980. Edição Ecumênica.

6.1.8  Normas Técnicas
ORGÃO NORMALIZADOR. Título: subtítulo, número da Norma. Local, ano. volume ou página (s).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Resumos: NB-88. Rio de Janeiro, 1987. 3 p.

6.1.9  Patentes
NOME e endereço do depositante, do inventor e do titular. Título da invenção na língua original. Classificação internacional de patentes. Sigla do país e n. do depósito. Data do depósito, data da publicação do pedido de privilégio.   Indicação da publicação onde foi publicada a patente. Notas.

ALFRED WERTLI AG. Bertrand Reymont. Dispositivo numa usina de fundição de lingotes para o avanço do lingote fundido.    Int CI3B22 D29/00.Den.PI 8002090. 2 abr. 1980, 25 nov. 1980. Revista da Propriedade Industrial, Rio de Janeiro, n.   527, p.17.

6.1.10 Dissertações e Teses
AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou volumes. Categoria (Grau e área de concentração) – Instituição, local.

RODRIGUES, M. V. Qualidade de vida no trabalho. 1989. 180f.. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

6.1.11 Congressos, Conferências, Simpósios, Workshops, Jornadas e outros Eventos Científicos
NOME DO CONGRESSO. número, ano, Cidade onde se realizou o Congresso. Título… Local de publicação: Editora, data de publicação. Número de páginas ou volume.

DNota:Quando se tratar de mais de um evento, realizados simultâneamente, deve-se seguir as mesmas regras aplicadas a autores pessoais.

6.1.11.1 Jornadas

JORNADA INTERNA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 18, JORNADA INTERNA DE INICIAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL, 8, 1996, Rio de Janeiro. Livro de Resumos do XVIII Jornada de Iniciação Científica e VIII Jornada de Iniciação Artística e Cultural.  Rio de Janeiro: UFRJ, 1996. 822 p.

6.1.11.2  Reuniões

ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN SOCIETY OF INTERNATIONAL LAW, 65., 1967, Washington. ProceedingsWashington: ASIL, 1967. 227 p.

6.1.11.3 Conferências

CONFERÊNCIA NACIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, 11., 1986, Belém. Anais…[S.l.]: OAB, [1986?]. 924 p.

6.1.11.4  Workshop

WORKSHOP DE DISSERTAÇÕES EM ANDAMENTO, 1., 1995, São Paulo. Anais… São Paulo: ICRS, USP, 1995. 39 p.

6.1.12  Relatórios oficiais

COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR. Departamento de Pesquisa Científica e Tecnológica. Relatório. Rio de Janeiro, 1972. Relatório. Mimeografado.

6.1.13 Relatórios técnico-científicos

SOUZA, Ubiraci Espinelli Lemes de; MELHADO, Silvio Burratino. Subsídios para a avaliação do custo de mão-de-obra na construção civil. São Paulo: EPUSP, 1991. 38 p. (Série Texto Técnico, TT/PCC/01).

6.1.14  Referências Legislativas

6.1.14.1  Constituições
PAÍS, ESTADO ou MUNICÍPIO. Constituição (data de promulgação). Título. Local: Editor, Ano de publicação. Número de páginas ou volumes. Notas.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Organização do texto: Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990. 168 p. (Série Legislação Brasileira).

6.1.14.2  Leis e Decretos
PAÍS, ESTADO ou MUNICÍPIO. Lei ou Decreto , número, data (dia, mês e ano). Ementa. Dados da publicação que publicou a lei ou decreto.

BRASIL. Decreto n. 89.271, de 4 de janeiro de 1984. Dispõe sobre documentos e procedimentos para despacho de aeronave em serviço internacional.Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, v. 48, p. 3-4, jan./mar.,1. trim. 1984. Legislação Federal e marginália.

BRASIL. Lei n. 9273, de 3 de maio de 1996. Torna obrigatório a inclusâo de dispositivo de segurança que impeça a reutilização das seringas descartáveis.  Lex:  Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, v. 60, p. 1260, maio/jun., 3. trim.1996. Legislação Federal e Marginália.

6.1.14.3 Pareceres
AUTOR (Pessoa física ou Instituição responsável pelo documento). Ementa, tipo, número e data (dia, mês e ano) do parecer. Dados da publicação que publicou o parecer.

BRASIL. Secretaria da Receita Federal. Do parecer no tocante aos financiamentos gerados por importações de mercadorias, cujo embarque tenha ocorrido antes da publicação do Decreto-lei n. 1.994, de 29 de dezembro de 1982. Parecer normativo, n. 6, de 23 de março de 1984. Relator: Ernani Garcia dos Santos. LexColetânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo,  p. 521-522,  jan./mar. 1. Trim., 1984. Legislação Federal e Marginália.

6.1.14.4  Portarias, Resoluções e Deliberações
AUTOR. (entidade coletiva responsável pelo documento). Ementa (quando houver). Tipo de documento, número e data (dia, mês e ano). Dados da Publicação que publicou.

6.1.14.5 Portarias

BRASIL. Secretaria da Receita Federal. Desliga a Empresa de Correios e Telégrafos – ECT do sistema de arrecadação. Portaria n. 12, de 21 de março de 1996.  LexColetânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, p. 742-743, mar./abr., 2. Trim. 1996. Legislação Federal e Marginália.,

6.1.14.6 Resoluções

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Aprova as instruções para escolha dos delegados-eleitores , efetivo e suplente à Assembléia para eleição de membros do seu Conselho Federal. Resoluçã n. 1.148, de 2 de março de 1984. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, p.425-426, jan./mar., 1. Trim. de 1984. Legislação Federal e Marginália.

6.1.14.7 Acórdãos, Decisões, Deliberações e Sentenças das Cortes ou Tribunais
AUTOR (entidade coletiva responsável pelo documento). Nome da Corte ou Tribunal. Ementa (quando houver). Tipo e número do recurso (apelação, embargo, habeas-corpus, mandado de segurança, etc.). Partes litigantes. Nome do relator precedido da palavra “Relator”. Data, precedida da palavra (acórdão ou decisão ou sentença) Dados da publicação que o publicou. Voto vencedor e vencido, quando houver.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Ação Rescisória que ataca apenas um dos fundamentos do julgado rescindendo, permanecendo subsistentes ou outros aspectos não impugnados pelo autor. Ocorrência, ademais, de imprecisão na identificação e localização do imóvel objeto da demanda. Coisa julgada. Inexistência. Ação de consignação em pagamento não decidiu sobre domínio e não poderia fazê-lo, pois não é de sua índole conferir a propriedade a alguém. Alegação de violação da lei e de coisa julgada repelida. Ação rescisória julgada improcedente. Acórdão em ação rescisória n. 75-RJ. Manoel da Silva Abreu e Estado do Rio de Janeiro. Relator: Ministro Barros Monteiro. DJ, 20 nov. 1989. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, v.2, n. 5, jan. 1990. p.7-14.

6.2  Partes de Monografias
AUTOR da parteTítulo da parte. Termo In: Autor da obra. Título da obra. Número da edição. Local de Publicação: Editor , Ano de publicação. Número ou volumepáginas inicial-final da parte,e/ou isoladas.

6.2.1  Capítulos de livros

NOGUEIRA, D. P. Fadiga. In: FUNDACENTRO. Curso de médicos do trabalho. São Paulo, 1974. v.3, p. 807-813.

6.2.2  Verbetes de Enciclopédias

MIRANDA, Jorge. Regulamento. In: POLIS Enciclopédia Verbo da Sociedade e do Estado: Antropologia, Direito, Economia, Ciência Política. São Paulo: Verbo, 1987. v. 5, p. 266-278.

6.2.3  Verbetes de Dicionários:

HALLISEY, Charles. Budismo. In: OUTHWAITE, William; BUTTOMORE, Tom. Dicionáriodo pensamento social do século XX. Tradução de Eduardo Francisco Alves; Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1996. p. 47-49.

6.2.4 Partes isoladas

MORAIS, Fernando. Olga.   São Paulo: Alfa-Omega, 1979. p. 90, 91, 96, 175, 185.

6.2.5 Bíblia em parte

Título da parte. LínguaIn: Título. Tradução ou versão. Local: Editora, data de publicação. Total de páginas. Páginas inicial e final da parte. Notas (se houver).

Jó. Português. In: Bíblia sagrada. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueredo. Rio de Janeiro: Encyclopedia Britânnica, 1980. p. 389-412. Edição Ecumênica. Bíblia. A. T.

6.2.6 Trabalhos apresentados em Congressos, Conferências, Simpósios, Workshops, Jornadas, Encontros  e outros Eventos Científicos.
AUTOR. Título do trabalho. In: NOME DO CONGRESSO, número, ano, Cidade onde se realizou o Congresso. Título (Anais ou Proceedings ouResumos…). Local de publicação: Editora, data de publicação. Total de páginas ou volumes. Páginas inicial e final do trabalho.

6.2.6.1 Encontros

RODRIGUES, M. V. Uma investigação na qualidade de vida no trabalho. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD, 13., Belo Horizonte, 1989.   Anais… Belo Horizonte: ANPAD, 1989. 500 p. p. 455-468.

6.2.6.2 Reuniões Anuais

FRALEIGH, Arnold. The Algerian of independence. In: ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN SOCIETY OF INTERNATIONAL LAW, 61, 1967, Washington. Proceedings… Washington: Society of International Law, 1967. 654 p. 6-12.

6.2.6.3 Conferências

ORTIZ, Alceu Loureiro. Formas alternativas de estruturação do Poder Judiciário. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, 11., 1986, Belém. Anais… [S.l.]: OAB, [1986?]. 924 p. p. 207-208.

6.2.6.4  Workshop

PRADO, Afonso Henrique Miranda de Almeida. Interpolação de imagens médicas. In: WORKSHOP DE DISSERTAÇÕES EM ANDAMENTO, 1., 1995, São Paulo. Anais…São Paulo: IMCS, USP, 1995. 348 p. p.2.

7 PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS

7.1 Consideradas no todo

7.1 1  Coleções
TITULO DO PERIÓDICO. Local de publicação (cidade): Editora, ano do primeiro e último volume. Periodicidade. ISSN (Quando houver).

TRANSINFORMAÇÃO. Campinas: PUCCAMP. 1989-1997. Quadrimestral. ISSN: 0103-3786

7.1.2  Fascículos
TÍTULO DO PERIÓDICO. Local de publicação (cidade): Editora, volume, número, mês e ano.

VEJA. São Paulo: Editora Abril, v. 31, n. 1, jan. 1998.

7.1.3 Fascículos com título próprio
TÍTULO DO PERIÓDICO. Titulo do fascículo. Local de publicação (cidade): Editora, volume, número, mês e ano. Notas

GAZETA MERCANTIL. Balanço anual 1997. São Paulo, n. 21, 1997. Suplemento.

EXAME. Melhores e maiores: as 500 maiores empresas do Brasil, São Paulo: Editora Abril. jul. 1997. Suplemento.

7.2 PARTES DE PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS

7.2.1Artigo de Revista
AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título da Revista, (abreviado ou não) Local de Publicação, Número do Volume, Número do Fascículo, Páginas inicial-final, mês e ano.

ESPOSITO, I. et al. Repercussões da fadiga psíquica no trabalho e na empresa. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 8, n. 32, p. 37-45, out./dez. 1979.

7.2.2 Artigo de jornal
AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do Jornal, Local de Publicação, dia, mês e ano. Número ou Título do  Caderno, seção ou suplemento e, páginas inicial e final do artigo.

DNota: Os meses devem ser abreviados de acordo com o idioma da publicação, conforme modelo anexo. Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo precede a data.

OLIVEIRA, W. P. de. Judô: Educação física e moral. O Estado de Minas, Belo Horizonte, 17 mar. 1981. Caderno de esporte, p. 7.

SUA safra, seu dinheiro. Folha de São Paulo, São Paulo, 17 ago. 1995. 2. cad. p. 9.

8 IMPRENTA (Local, Editora e Data)

8.1 Local

DNota: nome do local (cidade), deve ser indicado tal como aparece na obra referenciadaQuando houver homônimos, acrescenta-se o nome do estado ou país.

  • Viçosa, MG
  • Viçosa, RN

DNota: Quando o Local e a Editora não aparecem na publicação mas é conhecio, indicar entre colchetes.

[S.l. : s. n.]

8.2 Editora

DNota:quando o editor é o mesmo autor, não mencioná-lo como editor.Quando houver mais de uma editora, indica-se a que aparecer com maior destaque na folha de rosto, as demais podem ser também registradas com os respectivos lugares.

Ex: São Paulo: Nobel

Rio de Janeiro: Makron; São Paulo: Nobel

8.3 Data

DNota:A data de publicação deve ser indicada em algarismos arábicos. Por se tratar de elemento essencial para a referênia, sempre deve ser indicada uma data, seja da publicação, da impressão, do copirraite ou outra. Quando a
data não consta na obra, registrar a data aproximada entre colchetes.

[ 1981 ou 1982] um ano ou outro

[1995?] data provável

[1995] data certa não indicada na obra

[ entre 1990 e 1998] use intervalos menores de 20 anos

[ca.1978] data aproximada

[199-] década certa

[199?] década provável

[19--] para século certo

[19--?] para século provável

9 SÉRIES E COLEÇÕES

DNota :Ao final da referência indicam-se os títulos das Séries e Coleções e sua numeração tal qual figuram no documento, entre parênteses.

PÁDUA, Marsílio. O defensor da paz. Tradução e notas de José Antônio Camargo.
Rodrigues de Souza, introdução de José Antônio Camargo Rodrigues de Souza; Gregório Francisco Bertolloni. Petrópolis: Vozes, 1997. 701 p. (Clássicos do pensamento político).

10  NOTAS

São informações complementares acrescentadas no final da referência, sem destaque tipográfico.

10.1  Abstracts

BIER, Ethan. Anti-neural inhibition: a conserved mechanism for neural induction. Cell, Cambridge, v. 89, n. 5, 1997. P. 681-684. Chemical abstracts, Ohio: CAS, v. 127, n. 6. ago, 1997. p. 409. Abstracts.

10.2 Autor desconhecido

PROCURA-SE um amigo. In: SILVA, Lenilson Naveira e. Gerência da vida: reflexões filosóficas. 3. ed. Rio Janeiro: Record, 1990. 247 p. p. 212-213. Autor desconhecido.

DNota: Em obras cuja autoria é desconhecida, a entrada deve ser feita pelo título. O termo anônimo nunca deverá ser usado em substituição ao nome do autor.

10.3.  Dissertações e teses

AMBONI, Narcisa de Fátima. Estratégias organizacionais: um estudo de multicasos em sistemas universitários federais das capitais da região sul do país. 1995. 143 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Curso de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianóplois.

LOPES, Heitor Silveira. Analogia e aprendizado evolucionário: aplicação em diagnóstico clínico. 1996. 179 f. Tese (Doutorado em Engenharia Elétrica) – Curso de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

10.4  Ensaios

MÉLO, Veríssimo de. Ensaios de antropologia brasileira. Natal: Imprensa Universitária, 1973. 172 p. Ensaio.

10.5. Facsimiles

SOUZA, João da Cruz. Evocações. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura, 1986. 404 p. Edição fac-similar.

10.6  Notas de aula

KNAPP, Ulrich. Separação de isótopos de urânio conforme o processo Nozzle: curso introdutório, 5-30 de set. de 1977. 26 f. Notas de Aula. Mimeografado.

10.7  Reimpressões

PUTNAN, Hilary. Mind, language and reality:  philosophical papers. Cambridge: Cambridge University, 1995. v. 2. Reimpressão.

10.8  Notas múltiplas

DUARTE, Raymundo. Notas preliminares do movimento messiânico de Pau de Colher: comunicação apresentada ao IV Colóquio Internacional de estudos Luso-Brasileiro. Salvador. 1969. Notas prévias. Mimeografado.

10.9  Resenhas

WITTER, Geraldina Porto (Org.). Produção científica. Transinformação, Campinas, SP, v. 9, n. 2, p.135-137, maio/ago. 1997. Resenha.

MATSUDA, C. T. Cometas: do mito à ciência. São Paulo: Ícone, 1986. Resenha de: SANTOS, P. M. Cometa: divindade momentânea ou bola de gelo sujo? Ciência Hoje, São Paulo, v. 5, n. 30, p. 20, abril. 1987.

10.10  Trabalhos não publicados

ALVES, João Bosco da Mota; PEREIRA, Antônio Eduardo Costa. Linguagem Forth. Uberlândia, 100 p. Trabalho não publicado

10.11 Tradução do original:

AUDEN, W. H. A mão do artista. Tradução de José Roberto O’Shea. São PauloSiciliano, 1993. 399 p. Título original: The dyer’s hand.

10.12  Tradução feita com base em outra tradução

MUTAHHARI, Murtadã. Os direitos das mulheres no Islã. Tradução por: Editora Islâmico Alqalam. Lisboa: Islâmica Alqalam, 1988. 383 p. Versão inglesa. Original em Persa.

11OUTROS TIPOS DE DOCUMENTO

11.1 Atas de reuniões
NOME DA ORGANIZAÇÃO. LOCAL. Título e data. Livro, número., páginas, inicial-final.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Central. Ata da reunião realizada no dia 4 de julho de 1997. Livro 50, p. 1.

11. 2 Bulas ( remédios)
TÍTULO da medicação. Responsável técnico (se houver). Local: Laboratório, ano de fabricação. Bula de remédio.

NOVALGINA: dipirona sódica. São Paulo: Hoechst, [ 199?]. Bula de remédio.

11.3 Cartões Postais
TÍTULO. Local: Editora, ano. Número de unidades físicas: indicação de cor.

BRASIL turístico: anoitecer sobre o Congresso Nacional – Brasília. São Paulo: Mercador. [198-]. 1 cartão postal: color.

11.4  Convênios
NOME DA PRIMERA INSTITUIÇÃO. Título. local, data.

DNota: A entrada é feita pelo nome da instituição que figura em primeiro lugar no documento. O local é designativo da cidade onde está sendo executado o convênio.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO – CNPQ. Termo de compromisso que
    entre si celebram o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPQ, por intermédio de
    sua unidade de pesquisa, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT e a Universidade
    Federa de Santa Catarina – UFSC. Florianópolis, 1996.

11.5  Discos
AUTOR (compositor, executor, intérprete). Título. Direção artística (se houver). Local: Gravadora, número de rotações por minuto, sulco ou digital, número de canais sonoros. Número do disco.

DENVER, John. Poems, prayers & promises.  São Paulo: RCA Records, 1974. 1 disco (38 min.): 33 1/3 rpm, microssulco, estéreo. 104.4049.

COBOS, Luís. Suíte 1700: con The Royal Philharmoníc Orchestra. Rio de Janeiro: Sony Music, 1990. 1 disco (45 min.): 33 1/3 rpm, microssulcos, estéreo. 188163/1-467603.

DNota:Caso seja referenciado apenas 1 lado do disco, a indicação deve ser feita pela abreviatura L. , logo após a data. Em caso de coletânea, entrar pelo título.

TRACY CHAPMAN. São Paulo: Elektra, 1988. L. A, 1 disco (15 min.): 33 1/3rpm, microssulco, estéreo. 670.4170-A.

11.6  Discos Compactos (CD - Compact discs)

DNota: A referência de discos compactos (compact discs) difere da do disco comum apenas pela indicação de compacto e pela forma de gravação.

JÓIAS da música. Manaus: Videolar Amazônica: [199?]. v. 1. 1 disco compacto (47 min.): digital, estéreo. DL: M-23206-94. Parte integrante da revista Caras. Os Clássicos dos clássicos.

LUDWIG, Van Beethoven. Beethoven: com Pastoral Emporor Moonlight sonata. São Paulo: movie Play: 1993. 1 disco compact (60 + min.): digital, estéreo. GCH 2404. The Grea test Classical Hits .

11.7 Entrevistas

DNota: A entrada para entrevista é dada pelo nome do entrevistado. Quando o entrevistador tem maior destaque, entrar por este. Para referenciar entrevistas gravadas, faz-se descrição física de acordo com o suporte adotado.Para entrevistas publicadas em periódicos, proceder como em documentos considerados em parte.
NOME DO ENTREVISTADO. Título. Referência da publicação. Nota de entrevista

MELLO, Evaldo Cabral de. O passado no presente. Veja, São Paulo, n. 1528, p 9-11, 4 set. 1998. Entrevista concedida a João Gabriel de Lima.

11.8  Fitas Gravadas
AUTOR (compositor, Intérprete). Título. Local: Gravadora, ano. Número e tipo de fitas (duração): tipo de gravação Título de série, quando existir.

PANTANAL. São Paulo: Polygran, 1990. 1 cassete son. (90 min.): estéreo.

11.9 Filmes e Vídeos
TÍTULO. Autor e indicação de responsabilidade relevantes (diretor, produtor, realizador, roteirista e outros). Coordenação (se houver). Local: Produtora e distribuidora, data. Descrição física com detalhes de número de unidades, duração em minutos, sonoro ou mudo, legendas ou de gravação. Série, se houver. Notas especiais.

NOME da rosa. Produção de Jean-Jaques Annaud. São Paulo: Tw Vídeo distribuidora, 1986. 1 Videocassete (130 min.): VHS, Ntsc, son., color. Legendado. Port.

PEDESTRIANT reconstruction. Produção de Jerry J. Eubanks, Tucson: Lawuers & Judges Publishing. 1994. 1 videocassete (40min.): VHS. NTSC, son., color. Sem narrativa. Didático.

11.10 Fotografias
AUTOR (Fotógrafo ou nome do estúdio) Título. Ano. Número de unidades físicas: indicação de cor; dimensões.

DNota:A fotografia de obras de arte tem entrada pelo nome do autor do original, seguido do título e da indicação do nome do fotógrafo, precedido da abreviatura fot. Tratando-se de um conjunto de fotografias com suporte físico próprio como, por exemplo,   um álbum. Esta informação deve preceder o número de fotos.

KELLO, Foto & Vídeo. Escola Técnica Federal de Santa Catarina. 1997. 1 álbum

(28 fot.): color.; 17,5 x 13 cm.

11.11 Mapas e Globos
AUTOR. Título. Local: Editora, ano. Número de unidades físicas: indicação de cor, altura x largura. Escala.

DNota:Ao indicar as dimensões do mapa, transcreve-se primeiro a altura.Referenciar globos como mapas, substituíndo o número de unidades físicas pela designação globo e indicando, na dimensão, o diâmetro do globo em centímetros.

SANTA CATARINA. Departamento Estadual de Geografia e Cartografia. Mapa geral do Estado de Santa Catarina. [ Florianópolis], 1958. 1 mapa: 78 x 57 cm. Escala: 1:800:000.

11.12  Microfichas

DNota: referenciar como a publicação original, mencionando-se ao final, o número de microfichas e redução, quando houver.

SPINELLI, Mauro. Estudo da motricidade articulatória e da memória auditiva em distúrbios específicos de desenvolvimento da fala. 1973. Tese (Doutorado em voz) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. 3 microfichas.

11.13  Microfilmes

DNota: Referenciar como a pulicação original, seguida da indicação de unidades físicas e da largura em milímetros. Sendo em negativo, usar a abreviatura neg., após o número de unidades físicas, precedida de dois pontos.

ESTADO, Florianópolis. v. 27, n. 8283-8431. jul./dez. 1941. 1 bobina de microfilme, 35 m.

11.14  Slides (diapositivos)
AUTOR. Título. Local: Produtor, ano. Número de slides: indicação de cor; dimensões em cm.

A MODERNA arquitetura de Brasília. Washington: Pan American Development Foundation, [197?]. 10 slides, color. Acompanha texto.

AMORIM, Hélio Mendes de. Viver ou morrer. Rio de Janeiro: Sonoro-Vídeo, [197?]. 30 slides, color, audiocassete, 95 min.

12 DOCUMENTOS ELETRÔNICOS

12.1  Arquivo em Disquetes
AUTOR do arquivo. Título do arquivo. Extensão do arquivo. Local, data. Características físicas, tipo de suporte. Notas.

KRAEMER, Ligia Leindorf Bartz. Apostila.doc. Curitiba, 13 de maio de 1995. 1 arquivo (605 bytes). Disquete 3 1/2. Word for windows 6.0.

12.2  BBS
TÍTULO do arquivo. Endereço BBS: , login: , Data de acesso.

HEWLETT – Packard. Endereço BBS: hpcvbbs.cv.hp.com, login: new. Acesso em: 22 maio 1998.

UNIVERSIDADE da Carolina do Norte. Endereço BBS: launch pad. unc.edu. Login: lauch. Acesso em: 22 maio 1998.

12.3  Base de Dados em Cd-Rom: no todo
AUTOR. Título. Local: Editora, data. Tipo de suporte. Notas.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA – IBICT. Bases de dados em Ciência e Tecnologia. Brasília: IBICT, n. 1, 1996. CD-ROM.

12.4  Base de Dados em Cd-Rom: partes de documentos
AUTOR DA PARTE. Título da parte. In: AUTOR DO TODO. Título do todo. local: Editora, data. Tipo de suporte. Notas.

PEIXOTO, Maria de Fátima Vieira. Função citação como fator de recuperação de uma rede de assunto. In: IBICT. Base de dados em Ciência e Tecnologia.  Brasília: IBICT, n. 1, 1996. CD-ROM.

12.5  E-mail
AUTOR DA MENSAGEM. Assunto da mensagem. [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por < e-mail do destinatário> data de recebimento, dia mês e ano.

DNota:As informações devem ser retiradas, sempre que possível, do cabeçalho da mensagem recebida. Quando o e-mail for cópia, poderá ser acrescentado os demais destinatários após o primeiro, separados por ponto e vírgula.

MARINO, Anne Marie. TOEFL brienfieng number [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por <[email protected]> em 12 maio 1998.

12.6  FTP
AUTOR (se conhecido) . Título. Endereço ftp: , login: , caminho:, data de acesso.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Current directory is/pub. <ftp:150.162.1.90>,

login: anonymous, password: guest, caminho: Pub. Acesso em: 19 maio 1998.

GATES, Garry. Shakespeare and his muse.<ftp://ftp.guten.net/bard/muse.txt.> 1 Oct. 1996.

12. 7   Listas de Discussões
12.7.1 Mensagem recebida
AUTOR da mensagem. Título (Assunto). Nome da lista (se houver). Mensagem disponível em: <endereço da lista> data de acesso.

BRAGA, Hudson. Deus não se agradou dele e de sua oferta. Disponível em: <[email protected]> em: 22 maio 1998.

DNota:Caso trate-se de resposta de terceiros, a entrada dar-se-á pelo nome da mensagem original ou do autor da mensagem.Quando tratar de mensagem – reposta, Re ( Replay) deve preceder o título.

12.8  Monografias consideradas no todo (On-line)
AUTOR. Título. Local (cidade): editora, data. Disponível em: < endereço>. Acesso em: data.

ESTADO DE SÃO PAULO. Manual de redação e estilo. São Paulo, 1997. Disponível em: <http://www1.estado.com.br/redac/manual.html>. Acesso em: 19 maio 1998.

12.9 Publicações Periódicas consideradas no todo (On-line)
TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. LOCAL (cidade): Editora, volume, número, mês, ano. Disponível em: <endereço>. Acesso em: data.

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, Brasília, v. 26. n.3, 1997. Disponível em : <http://www.ibict.br/cionline>. Acesso em: 19 maio 1998.

12.10  Partes de Publicações Periódicas (On-line)

12.10.1  Artigos de Periódicos (On-line)
AUTOR. Título do artigo. Título da publicação seriada, local, volume, número, mês ano. Paginação ou indicação de tamanho. Disponível em: <Endereço.>. Acesso em: data.

MALOFF, Joel. A internet e o valor da “internetização”. Ciência da Informação, Brasília, v. 26, n. 3, 1997. Disponível em: <http://www.ibict.br/cionline/>. Acesso em: 18 maio 1998.

12.10.2 Artigos de Jornais (On-line)
AUTOR. Título do artigo. Título do jornal, local, data de publicação, seção, caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. Disponível em: <Endereço>. Acesso em: data.

TAVES, Rodrigo França. Ministério corta pagamento de 46,5 mil professores. Globo, Rio de Janeiro, 19 maio 1998.  Disponível em:<http://www.oglobo.com.br/>. Acesso em: 19 maio 1998. UFSC não entrega lista ao MEC.Universidade Aberta: online. Disponível em: < http://www.unaberta.ufsc.br/novaua/index.html>. Acesso em:19 maio 1998.

12.11  Homepage
AUTOR. Título. Informações complementares (Coordenação, desenvolvida por, apresenta…, quando houver etc…). Disponível em:. <Endereço>. Acesso em: data.

ETSnet. Toefl on line: Test of english as a foreign language. Disponível  em: <http://www.toefl.org>. Acesso em: 19 maio 1998.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Serviço de Referência. Catálogos de Universidades. Apresenta endereços de Universidades nacionais e estrangeiras. Disponível em: <http://www.bu.ufsc.br>. Acesso em: 19 maio 1998.

REFERÊNCIAS

  1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e Documentação – Referências – Elaboração. Rio de Janeiro: ABNT, 2000.
  2. CÓDIGO de catalogação Anglo-Americano. Brasília: Edição dos tradutores, 1969.
  3. DUPAS, Maria Angélica. Pesquisando e normalizando: noções básicas e recomendações úteis para elaboração de trabalhos científicos. São Carlos: UFSCAR, 1997. 78 p.
  4. ENCONTRO Nacional de normalização de trabalhos técnicos, científicos e culturais. Niterói, 1989. Manual de normalização, Niterói: UFF/NDC, 1992. 300 p.
  5. FERREIRA, Sueli Mara S.P. ; KROEFF, Márcia. Referências bibliográficas de documentos eletrônicos. São Paulo: APB, 1996. 2 v. (Ensaios APB, n. 35-36).
  6. FRANÇA, Júnia Lessa. Manual para normalização de publicações técnico-científicas.  Belo Horizonte: UFMG, 1990, 168 p. (Coleção Aprender).
  7. KRAEMER, Lígia Leindorf Bartz et al. Referências bibliográficas de informações e documentos eletrônicos: uma contribuição para a prática. Curitiba: [S.n.], 1996.
  8. PUCCAMP. Faculdade de Biblioteconomia. Referências bibliográficas: disque-biblio. Campinas, 1997. 15 p.
  9. SAVI, Maria Gorete M. Referências e citações bibliográficas segundo a ABNT. Florianópolis, 1994. Transparências.
  10. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ.   Biblioteca Central. Normas para apresentações de trabalhos: referências bibliográficas. 6. ed. Curitiba, 1996. v. 6.

Universidade Federal de Santa Catarina
Biblioteca Universitária, Fone: 331-9310 – fax: 3319603
Campus Universitário – Caixa Postal:476 – CEP 88.040.900
Trindade – Florianópolis – Santa Catarina – Brasil

GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE REFERÊNCIAS: NBR 6023:2002

FONTE: UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO – UFES

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO

2 ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELA NORMALIZAÇÃO

2.1 DEFINIÇÃO

2.2 FONTES DE INFORMAÇÃO

2.3 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO

3 ELEMENTOS DE UMA REFERÊNCIA

3.1 AUTOR DA PUBLICAÇÃO OU DE PARTE DA PUBLICAÇÃO

3.1.1 Pessoas físicas

3.1.2 Pessoas jurídicas

a)     instituições públicas com denominação genérica

b)     instituições públicas com denominação específica

c)     relatórios de governo

3.1.3 Coletâneas

3.1.4 Outras situações para indicação de autoria

a)     até três autores

b)     mais de três autores

c)     obras anônimas

d)     eventos realizados simultaneamente

e)     mais de uma pessoa jurídica

3.2 TÍTULO E SUBTÍTULO DA PUBLICAÇÃO

3.3 EDIÇÃO

3.4 LOCAL DE PUBLICAÇÃO

3.5 EDITORA

3.6 ANO DE PUBLICAÇÃO

3.7 NÚMERO DE FOLHAS, PÁGINAS OU VOLUMES

3.8 SIMULAÇÃO DA FOLHA DE ROSTO DE UM LIVRO

4 APRESENTAÇÃO DE REFERÊNCIAS

4.1 PUBLICAÇÕES AVULSAS CONSIDERADAS NO TODO (LIVROS, TESES…)

a)     livros

b)     teses, dissertações e trabalhos acadêmicos originais

4.2 PUBLICAÇÕES AVULSAS CONSIDERADAS COMO PARTE DE UMA OBRA (CAPÍTULOS, VOLUMES, FRAGMENTOS…)

a)     quando o autor da parte e da obra for o mesmo

b)     quando o autor da parte e da obra forem diferentes (coletânea)

4.3 PUBLICAÇÕES EM MEIOS ELETRÔNICOS, NO TODO OU EM PARTE

a)     com indicação de autoria

b)     sem indicação de autoria

c)     documentos on-line

4.4 PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS (REVISTAS, JORNAIS, BOLETINS…)

4.4.1 Partes de publicações periódicas (fascículos, números especiais, suplementos com título próprio)

a)     fascículos, números especiais

b)     artigos publicados em suplementos, em fascículos ou em números especiais

c)     artigos em revistas técnicas e/ou informativas

d)     artigos em jornais impressos

e)     artigos em jornais em meios eletrônicos

f)       artigos em cadernos ou similares de jornais impressos

g)     artigos em cadernos ou similares de jornais em meios eletrônicos

4.5 EVENTOS (CONGRESSOS, SIMPÓSIOS, SEMINÁRIOS…)

4.5.1 Trabalhos apresentados em eventos

a)     trabalhos impressos

b)     trabalhos em meios eletrônicos

4.6 MULTIMEIOS

4.6.1 Filmes cinematográficos, fitas de vídeo, DVD

a)     filmes cinematográficos

b)     fitas de vídeo

c)     DVD

4.6.2 Fotografias, originais de arte

a)     fotografias

b)     originais de arte

4.6.3 Discos, fitas cassete

5 OUTROS TIPOS DE DOCUMENTOS

5.1 NORMAS TÉCNICAS

5.2 REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS

a)     leis, decretos, medidas provisórias e portarias

b)     ]acórdãos, decisões e sentenças

c)     pareceres, resoluções e indicações

d)     constituição e emendas constitucionais

5.3 ENTREVISTAS

a)     entrevistas não publicadas

b)     entrevistas publicadas

5.4 OBRAS INÉDITAS

5.5 BÍBLIA

5.6 VERBETES DE DICIONÁRIOS E ENCICLOPÉDIAS

a)     com indicação de autoria

b)     sem indicação de autoria

5.7 PROGRAMAS DE COMPUTADOR

5.8 LISTAS DE DISCUSSÃO

5.9 MENSAGENS POR CORREIO ELETRÔNICO

5.10 HOMEPAGE E SITE INSTITUCIONAL

5.11 FOLDERS, FOLHETOS E CATÁLOGOS.

6 REFERÊNCIAS

1 INTRODUÇÃO

Na sociedade atual, concomitante ao ato de produzir conhecimento, é cada vez mais necessário que os pesquisadores, docentes e discentes se preocupem com o levantamento e identificação das fontes de informação que sustentarão sua produção.

Segundo Freire (1984, p. 9) “Toda bibliografia deve refletir uma intenção fundamental de quem elabora: a de atender ou despertar o desejo de aprofundar os conhecimentos naqueles a quem se oferece a bibliografia.”

Ao elaborar o levantamento bibliográfico, é preciso respeitar três premissas básicas (HÜHNE, 2000):

  • quem serão os leitores de sua produção;
  • quais foram os autores consultados; e
  • qual seu comportamento com o conhecimento produzido.

Nesse sentido, esta publicação visa a fornecer orientação sobre a apresentação de referências, que têm como objetivo descrever informações registradas sob qualquer tipo de suporte (papel, filme, fita magnética, documentos eletrônicos, etc.)

Seu conteúdo tem por base a NBR 6023:2002, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELA NORMALIZAÇÃO

Internacional – Internacional Organization for Standardization (ISO), sediada em Genebra.

Nacional – Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), sediada no Rio de Janeiro. É a autoridade máxima, no Brasil, em assuntos de normalização.

2.1 DEFINIÇÃO

Segundo a ISO, podemos entender normalização como um processo de formulação e aplicação de regras visando ao ordenamento de uma atividade específica, à cooperação e à racionalização de suas condições funcionais.

De acordo com a NBR 6023:2002, Referência é o “[...] conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual” (ABTN, 2002).

2.2 FONTES DE INFORMAÇÃO

Os elementos da referência devem ser retirados, sempre que possível, do próprio documento. Dados obtidos em outras fontes de informação são indicados entre colchetes.

Quando se tratar de parte de uma publicação, os dados são transcritos dos cabeçalhos dessas partes e não do índice, sumário, etc.

2.3 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO

O alinhamento das referências é apenas na margem esquerda. Segundo a NBR 6023:2002, as referências devem ter uma forma consistente de pontuação e o uso de recursos tipográficos (negrito, grifo, itálico) deve ser uniforme.

A lista de referências pode ser ordenada numérica e/ou alfabeticamente. Em casos excepcionais, pode ser cronológica ou geográfica.

Quando a ordenação for alfabética, as referências podem ser individualizadas, usando-se números arábicos de forma seqüencial e sem sinais de pontuação após o número. Pode-se também usar um espaçamento maior entre as referências.

As referências podem aparecer:

  • em notas de rodapé;
  • no fim de textos;
  • no fim de capítulos; e
  • encabeçando resumos ou recensões.

Em listas bibliográficas, quando o autor for comum a dois ou mais documentos referenciados sucessivamente e na mesma página, o nome do autor pode ser substituído por um traço equivalente a seis toques da tecla correspondente ao sinal para sublinhar. No caso de várias edições de uma mesma obra referenciada, o título pode também ser substituído por um traço equivalente a seis toques da mesma tecla, separando-os por ponto.

Ex.:

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1998.

______. Cibercultura. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1998.

______. ______. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2000.

Esse princípio não se aplica quando na indicação de autoria houver a participação de outros autores.

Ex.:

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1998.

______. Cibercultura. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1998.

LÉVY, Pierre; AUTHIER, Michel. As árvores do conhecimento. São Paulo: Escuta, 1995.

3 ELEMENTOS DE UMA REFERÊNCIA

As referências são constituídas de elementos essenciais, podendo ser acrescidas de elementos complementares. A apresentação dos elementos segue uma seqüência padronizada.

Os elementos essenciais são aqueles indispensáveis à identificação do documento. Em geral são: autor, título, edição, local, editora e data.

Como esses elementos são estritamente vinculados ao tipo de suporte em que a informação está registrada, pode haver variação em sua forma de identificação.

Os elementos complementares podem ser acrescentados visando a melhor caracterizar, localizar ou obter o documento. É bom salientar que tais elementos podem se tornar essenciais, dependendo do tipo de suporte físico da publicação.

Podem ser elementos complementares: subtítulo, indicação de tradutor, paginação, ilustrações, séries, notas explicativas, etc.

Indica-se o subtítulo quando o título da obra for genérico ou ambíguo.

Exemplo de referência com indicação de elementos essenciais:

Ex.:

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2000.

Exemplo de referência com indicação de elementos complementares:

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2000. 260 p. (Coleção Trans). ISBN 85-7326-126-9.

3.1 AUTOR DA PUBLICAÇÃO OU DE PARTE DA PUBLICAÇÃO

3.1.1 Pessoas físicas

Se o autor for pessoa física, a entrada é feita pelo último sobrenome do autor, em caixa-alta (letras maiúsculas), seguido de vírgula (,) e do(s) prenome(s) e demais sobrenome(s) por extenso ou de forma abreviada. Recomenda-se usar uma única forma de apresentação para que haja uniformidade nas referências.

Ex.:

SEIXAS, R. O baú do Raul. 19. ed. São Paulo: Globo, 1993. 215 p.

A indicação de autores com sobrenomes compostos, sobrenomes estrangeiros, sobrenomes que indicam grau de parentesco e outras situações possuem regras específicas.

Ex.:

a)     sendo composto o último sobrenome, a entrada é feita pela expressão composta (Ex.: ESPÍRITO SANTO, Pedro; LEVI-STRAUSS, Claude);

b)     tratando-se de autores de nome em língua espanhola, a entrada é feita pelo penúltimo sobrenome (Ex.: MENDEZ PIDAL, Ramon);

c)     acompanham o último sobrenome palavras que indicam grau de parentesco, como “Júnior”, “Filho”, “Neto” (Ex.: SILVA NETO, Serafim);

d)     sendo precedido da partícula “de”, “da”, “e”, a entrada é feita sem a partícula (Ex.: MELO, Celso Antônio Bandeira de); e

e)     não são incluídos na referência os títulos de formação profissional, de cargos ocupados e de ordens religiosas. (Ex.: CINTRA, Candido e não Frei Candido Cintra, O. A. R.)

3.1.2 Pessoas jurídicas

Se o autor for pessoa jurídica, a entrada é feita pelo nome por extenso da instituição responsável intelectualmente pela obra, incluindo instituições públicas e privadas. Quando uma instituição nacional ou internacional for conhecida por sua sigla, esta pode ser usada como entrada. Em hipótese alguma é permitido o uso de siglas estaduais e municipais bem como de universidades e bancos.

a)     instituições públicas com denominação genérica

Nesse caso estão incluídos os ministérios, secretarias, departamentos, divisões, seções, etc.

Chave:

LOCAL DE JURISDIÇÃO. Nome da instituição. Título. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

BRASIL. Congresso. Senado. Regimento Interno. Brasília, 1971.

Não se deve incluir o nome da editora quando este já constar na entrada de autor.

b)     instituições públicas com denominação específica

uma entidade coletiva, embora com vinculação a uma instituição maior, mas tendo uma denominação específica que a identifique, tem a entrada diretamente pelo seu nome.

Chave:

NOME DA INSTITUIÇÃO. Título. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Biblioteca Central. Catálogo de teses da Universidade Federal do Espírito Santo. 2, ed. Vitória: Aracruz Celulose, 1990. 2v.

Ex.:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Núcleo de Processamento de Dados. Cursos-NPD/UFES. Disponível em:<http://npd1.ufes.br/~cursos/>. Acesso em: 2 mar. 1997.

Se a denominação da instituição for ambígua ou houver duplicidade de nomes, indica-se, após o seu nome, entre parênteses, o local da jurisdição.

Chave:

NOME DA INSTITUIÇÃO (local de jurisdição). Título. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Relatório da diretoria geral, 1984. Rio de Janeiro, 1985. 40 p.

c)     relatórios de governo

Chave:

PAÍS ou ESTADO.  Cargo (datas de início e término de mandato: Sobrenome do governante). Título. Local: Editora, ano.

Ex.:

ESPÍRITO SANTO (Estado). Governador (1979-1983: Rezende). Mensagem enviada à Assembléia Legislativa em 1º de março de 1980 [por] Eurico Vieira de Rezende, governador do Estado do Espírito Santo. Vitória: [s.n.], 1980.

3.1.3 Coletâneas

Documentos elaborados por vários autores sob a direção editorial ou responsabilidade intelectual: organizador, coordenador, editor, compilador, etc. tem entrada pelo nome do responsável, indicando-se o tipo de participação entre parênteses de forma abreviada e no singular.

Ex.:

SOARES, I.O. (Org.). Para uma leitura crítica da publicidade. São Paulo: Paulinas, 1988.

3.1.4 Outras situações para indicação de autoria

Na descrição de obras com mais de um autor, a identificação dos autores deve ser feita das seguintes formas:

a)     até três autores

Todos os autores são mencionados, obedecendo à ordem em que aparecem na publicação e separados entre si por ponto-e-vírgula (;).

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome; SOBRENOME DO AUTOR, Prenome; SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

SCHNEIDER, J. O.; LENZ, M. M.; PETRY, A. A realidade brasileira: estudo de problemas brasileiros. 10. ed. Rev. E atual. Porto alegre: Sulina, 1990. 245 p.

d)     mais de três autores

Menciona-se o primeiro autor seguido da expressão et alii de forma abreviada “et al.”

É facultativa a indicação de todos os autores em casos específicos que requerem certificação de autoria, por exemplo: projetos de pesquisa científica, indicação de produção científica em relatórios para órgãos de fomento à pesquisa, etc.

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome et al. Título. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

JAGUARIBE, H. et al. Brasil, sociedade democrática. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1985.

b)     obras anônimas

Inicia-se a referência pelo título e sempre com a primeira palavra, em caixa-alta. Quando o título iniciar com artigo definido ou indefinido ou ainda com palavra monossilábica, essas deverão também estar em caixa alta.

Chave:

TÍTULO. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

DESAFIOS éticos. Brasília: Conselho Federal de Medicina, 1993. 291 p.

Ex.:

OS DESAFIOS éticos. Brasília: Conselho Federal de Medicina, 1993. 291 p.

c)     eventos realizados simultaneamente

Chave:

DESIGNAÇÃO, número; DESIGNAÇÃO, número, ano e local de realização do evento. Título da publicação: subtítulo (se houver). Local: Editora, ano.

Ex.:

CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 19.; CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 3.; ENCONTRO NACIONAL DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO JURÍDICA, 7., 2000, Porto Alegre. Anais… [Porto Alegre}: Actual Informática, 2000. 1 CD-ROM.

d)     mais de uma pessoa jurídica

Chave:

NOME DA INSTITUIÇÃO; NOME DA INSTITUIÇÃO. Título: subtítulo (se houver). Local: Editora, ano.

Ex.:

IBGE; IPEA. Dimensões das carências sociais: informações municipais. Rio de Janeiro, 1996.

3.2 TÍTULO E SUBTÍTULO DA PUBLICAÇÃO

O título é reproduzido tal como figura na obra referenciada, devendo ser destacado tipograficamente (negritoitálico ou grifado). Letras maiúsculas só são usadas na inicial da primeira palavra e em nomes próprios.

Ex.:

CUNHA, Luiz Antônio. Qual universidade?

O subtítulo, quando indicado, é transcrito como aparece na publicação sem destaque de negrito, itálico ou grifo e precedido de dois pontos (:).

Ex.:

PENIN, Sonia. Cotidiano e escola: a obra em construção

Se houver mais de um título, ou se o título aparecer em mais de uma língua, registra-se o título que estiver em destaque ou em primeiro lugar.

Quando títulos e subtítulos forem muito longos, pode-se suprimir as últimas palavras, usando-se reticências (...) para indicar a supressão.

Ex.:

FIGUEIRAS, Sônia. Remendo nas contas: governo baixa medidas na tentativa de reduzir o roubo... Isto É, São Paulo, n. 1409, 1º out. 1996. Disponível em: <http://www.uol.com.br/istoe/economia/140920.htm> Acesso em: 3 out. 1996.

Nos documentos que não apresentam título, deve-se atribuir uma palavra ou frase que identifique seu conteúdo entre colchetes. Em caso de documentos iconográficos, pode-se usar a alternativa anterior ou a expressão “sem título”, ambas entre colchetes.

Ex.:

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AQÜICULTURA, 1., 1978, Recife. [Trabalhos apresentados]. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 1980.

Ex.:

FARIA, Francisca Olga. [Sem título]. 1970. 1 original de arte, óleo sobre tela, 100cmx83cm. Coleção particular.

3.3 EDIÇÃO

Só será indicada a partir da segunda.

Quando a edição for mencionada, seu número será indicado em algarismo arábico, seguido da abreviatura da palavra “edição” no idioma da publicação.

A forma de indicar a numeração da edição varia em cada idioma, a saber:

  • em português e em espanhol, usa-se ponto após o número.

Ex.:

RIBEIRO JÚNIOR, João. O que é positivismo. 4. ed.

  • em outros idiomas: 2nd ed. (inglês); 2e ed. (francês); 2. Aufl. (alemão); e 2ª ed. (italiano).

Ex.:

HEIDE, Ann; STILBORNE, Linda. The teacher’s complete & easy guide to the internet. 2nd ed. Ontario: Trifolium, 1999.

DEBORD, G. La sciété du spectacle. 2e ed. Paris: Buchet-Chastrel, 1970.

Emendas e acréscimos à edição são indicados de forma abreviada.

Ex.:

PRADO, H. de A. Organização e administração de bibliotecas. 2. ed. rev.

Se a edição for apresentada com nome característico, este deve ser transcrito como aparece na publicação.

Ex.:

ALENCAR, José de. Iracema. Ed. do Centenário.

3.4 LOCAL DE PUBLICAÇÃO

O local de publicação deve ser transcrito tal como figura na obra referenciada.

No caso de cidades com o mesmo nome (homônimas), acrescenta-se o nome do estado ou país.

Ex.:

Viçosa, MG

Viçosa, RN

Havendo mais de um local de publicação, para um só editor, indica-se o primeiro ou o que estiver em destaque.

Quando a cidade não for mencionada na publicação, mas puder ser identificada em outra fonte de informação, sua indicação é dada entre colchetes.

Sendo impossível identificar o local, a omissão é indicada pela abreviatura “S.l.” (sine loco), entre colchetes [S.l.]

Ex.:

RIBEIRO, Jaime et al. Proposta para normalização de teses. [S.l.]

3.5 EDITORA

A indicação do editor vem em seguida ao local de publicação e separada por dois pontos (:). O nome da editora é transcrito como aparece na publicação referenciada, abreviando-se os prenomes e suprimindo-se os elementos que designam a sua natureza jurídica ou comercial, desde que essa omissão não dificulte a sua identificação.

Ex.:

J. Olympio (e não Livraria José Olympio Editora)

Havendo mais de uma casa editora, cita-se apenas a primeira ou a que estiver em destaque.

Não se indica o nome da editora quando este já constar da entrada como autor.

Ex.:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Estatuto. Vitória, 1978.

Sendo impossível determinar o nome da editora, adota-se a abreviatura “s.n” (sine nomine), entre colchetes, [s.n.].

Ex.:

MELO, M. de L. Curso de comunicação. Fortaleza: [s.n.], 1984.

3.6 ANO DE PUBLICAÇÃO

O ano de publicação é transcrito sempre em algarismos arábicos e precedido de vírgula, exceto em publicações periódicas (ver item 4.4). Não sendo possível determinar a data de publicação, distribuição, copyright ou impressão, deve-se registrar a data próxima entre colchetes.

Ex.:

[1993?] para data provável;

[ca. 1994] para data aproximada (ca.= cercade);

[199-] para década certa;

[199-?] para década provável;

[19--] para século certo;

[19--?] para século provável.

No caso de não ser possível identificar o local, a editora e a data, registram-se as informações explicadas nos itens anteriores, entre colchetes [S.l.: s.n., 19--].

Ex.:

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. [S.l.: s.n., 19--].

3.7 NÚMERO DE FOLHAS, PÁGINAS OU VOLUMES

Esse tipo de informação é obtido em consulta à própria obra. Trata-se de elemento complementar, tornando-se elemento essencial na casa de referência de partes ou capítulos de uma obra.

O total de páginas é indicado seguido da abreviatura “p.” e o total de folhas, [1] da abreviatura “f.”.

Ex.:

500 p.

51 f.

O total de volumes é indicado seguido da abreviatura “v.”

Ex.:

3v.

A paginação inicial e final do trecho de um documento (capítulo de livro, artigo de periódico, artigo de jornal, etc.) é indicada precedida de “p.”.

Ex.:

p. 50-138.

v. 2, p. 12-28.

p. 1156-1159.

Na referência de documentos eletrônicos e multimeios, a descrição física é o elemento essencial.

Ex.:

Disponível em :<http://www.npd.ufes.br/cursos/defayt.html>. Acesso em: 30 jun. 2000.

Ex.:

1 CD-ROM.

Ex.:

1 filme (120 min)

3.8 SIMULAÇÃO DA FOLHA DE ROSTO DE UM LIVRO

Autor àOTHON M. GARCIA

(da Academia Brasileira de Filosofia)

                     TítuloàCOMUNICAÇÃO EM

PROSA MODERNA

SubtítuloàAprenda a escrever, aprendendo a pensar

                       Ediçãoà15ª edição

                      CidadeàRio de Janeiro, RJ.

EditoraàEditora da Fundação Getúlio Vargas

                              Anoà1992

Ex.:

GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna: aprenda a escrever, aprendendo a pensar. 15. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1992.

4        APRESENTAÇÃO DE REFERÊNCIAS

4.1  PUBLICAÇÕES AVULSAS CONSIDERADAS NO TODO (LIVROS, TESES…)

Elementos essenciais: autor (es), título, edição, local, editora e ano de publicação.

Elementos complementares: subtítulo, indicação de outros tipos de responsabilidade (tradutor, ilustrador, revisor, etc.), descrição física (página e/ou volumes, ilustrações, dimensões), indicação de série, de notas e do ISBN e outras informações consideradas pertinentes.

a)     livros

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

CASTANO, Cecília. La informatización de la banca en España. Madrid: Ministério da Economia, 1991.

Ex.:

CASTELLS, M.; GOH, L.; KWOK, R.W.Y. The Shek Kip Mei syndrome: economic development and public housing in Hong Kong and Singapore. London: Pion, 1990.

Ex.:

KOOGAN, A.; HOUAISS, A. (Ed.). Enciclopédia e dicionário digital 98. São Paulo: Delta, 1998. 5 CD-ROM.

b)     teses, dissertações e trabalhos acadêmicos originais

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Ano. Tipo de trabalho (tese, dissertação, monografia ou trabalho acadêmico) (grau e área de concentração) – Unidade de ensino, Instituição onde o trabalho foi apresentado, local e ano mencionado na folha de aprovação (se houver).

Ex.:

PEROTA, Maria Luiza Loures Rocha. Resgate da Memória da Universidade Federal do Espírito Santo: a fotografia com fonte de pesquisa. 1995. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 1995.

4.2  PUBLICAÇÕES AVULSAS CONSIDERADAS COMO PARTE DE UMA OBRA (CAPÍTULOS, VOLUMES, FRAGMENTOS…)

Elementos essenciais: autor(es, título, seguido da expressão “In:”, autor, título da obra no todo, local, editora e ano. Localização da parte referenciada (capítulo e respectivo número (se houver), página inicial e final da parte referenciada)).

Elementos complementares: com exceção da paginação, são os mesmos indicados no item 4.1.

a)     quando o autor da parte e da obra for o mesmo

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título da parte referenciada. In:______. Título da obra: subtítulo (se houver). Edição. Local: Editora, ano. Localização da parte referenciada.

Ex.:

HERKENHOFF, J. B. Dever jurídico. In:______. Introdução ao estudo do direito: a partir de perguntas e respostas. Campinas: Julex, 1987. cap. 13, p. 179-185.

b)     quando os autores da parte e da obra forem diferentes (coletânea)

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR da parte referenciada, Prenome. Título da parte referenciada. In: SOBRENOME do responsável pela obra, Prenome. Título da obra. Edição. Local: Editora, ano. Localização da parte referenciada.

Ex.:

REGO, L. L. B. O desenvolvimento cognitivo e a prontidão para a alfabetização. In: CARRARO, T. N. (Org.). Aprender pensando. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1991. p. 31-40.

4.3 PUBLICAÇÕS EM MEIOS ELETRÔNICOS, NO TODO OU EM PARTE[2]

Elementos essenciais: autor(es), título, edição, local, editora e ano de publicação, descrição física do meio (quantidade, tipo de suporte). Nas obras consultadas on-line são também elementos essenciais:

  • a expressão “Disponível em:”, seguida do endereço eletrônico entre os sinais “<>” (brackets);
  • a expressão “Acesso em:”, seguida da data de acesso ao documento.

Elementos complementares: subtítulo, indicação de som, legenda ou dublagem, de cor, extensão, série e número de série (se houver), configuração mínima do equipamento necessário para leitura do arquivo, além dos outros elementos indicados no item 3.

a)     com indicação de autoria

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Edição. Local: Editora, ano. Número de unidades físicas, indicação de som (legenda ou dublagem), indicação de cor, extensão. (Série, número da série). Configuração mínima.

Obs.: As informações em itálico são opcionais.

Ex.:

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário eletrônico Aurélio: com corretor ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, [1996]. 1CD-ROM.

ou

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário eletrônico Aurélio: com corretor ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, [1996]. 1 CD-ROM, color. Configuração mínima: PC386 DX40, drive CD-ROM, kit multimídia.

b)     sem indicação de autoria

Chave:

TÍTULO: subtítulo (se houver). Edição. Indicação de responsabilidade. Local: Editora, ano. Número de unidades físicas, indicação de som (legenda ou dublagem), indicação de cor, extensão. (Série, número da série). Configuração mínima.

Ex.:

ATLAS histórico IstoÉ Brasil 500 anos: Império. São Paulo: Ed. Três, c1998. 1 CD-ROM. Windows 95/98.

c)     documentos on-line

Ex.:

LUCENA, J. C. P. de; CAMPOS, I. M.; MEIRA, S. L. (Ed.). Ciência e tecnologia para construção da sociedade de informação no Brasil: documento de trabalho. Brasília: CNPq, 1998. Disponível em: <http://www.cct.gov.br/gtsocinfo/atividades/docs/versao3/indice.htm>. Acesso em: 20 out. 1999.

4.3  PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS (REVISTAS, JORNAIS, BOLETINS…)

As publicações periódicas normalizadas, principalmente as revistas técnicas e/ou especializadas, trazem ao pé da página um elemento chamado legenda bibliográfica, composto pelos seguintes itens:

  • título abreviado do periódico;
  • local de publicação;
  • ano e/ou volume;
  • fascículo;
  • paginação; e
  • data.

Esses dados auxiliam a identificação do periódico e a elaboração da referência.

É possível abreviar o título do periódico desde que a NBR 6023:1989, da ABNT, seja respeitada. Para abreviatura dos meses do ano, inclusive em outros idiomas, ver Anexo A.

Exemplo de legenda:

Ci. Inf., Brasília, v. 22, n. 1, p. 1-92, jan./abr. 1993.

ou

Ciência da Informação, Brasília, v. 22, n. 1, p. 1-92, jan./abr. 1993.

Para publicações periódicas em meios eletrônicos, pode ser necessário substituir as informações usadas no suporte papel (como indicação de ano/volume, fascículo, data e/ou paginação) pelas indicações características do meio eletrônico.

4.4.1 Partes de publicações periódicas (fascículos, números especiais, suplementos com título próprio)

a)     fascículos, números especiais

Elementos essenciais: título da parte, título do periódico, local, número do ano e/ou volume, número do fascículo, data, nota necessária para identificar o tipo de publicação (se houver).

Elementos complementares: quando necessário, acrescentar informações que possam identificar melhor a publicação.

Chave:

TÍTULO DA PARTE. Título do periódico, local, número do ano e/ou volume, número do fascículo, data. Nota indicativa do tipo de fascículo.

Ex.:

ESPÍRITO Santo em exame. Exame, São Paulo, ano 31, n. 25, 3 dez. 1997. Parte integrante da edição 650.

b)     artigos publicados em suplementos, em fascículos ou em números especiais

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Prenome. Título do artigo. Título do periódico, local de publicação, número do ano e/ou volume, número do fascículo, página inicial e final do artigo, data. Notas indicativas a outros dados necessários para identificar a publicação.

Ex.:

PETERSON, E. Em busca de uma saída. Veja Vida Digital, São Paulo, p. 48-50, abr. 2000. Número especial da Veja, ano 33, n. 16, 19 abr. 2000.

Ex.:

É HORA de mudar de emprego? Veja Sua Carreira, São Paulo, n. 1, 2000. Disponível em:<http://www2.uol.com.br/veja/especiais/carreiras/teste_emprego. html>.Acesso em: 23 out. 2000.

c)     artigos em revistas técnicas e/ou informativas

Elementos essenciais: autore(s) (se houver), título do artigo, título da publicação, local, número do ano e/ou do volume, número do fascículo, página inicial e final do artigo, data.

  • Com indicação de autoria

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Prenome. Título: subtítulo (se houver) do artigo. Título do Periódico, local de publicação, número do ano e/ou volume, número do fascículo, página inicial e final do artigo, data.

Ex.:

ANJOS, E. E. A nova realidade agrária, questão ambiental e impasses na socologia rural. Mosaico Revista de Ciências Sociais, Vitória, ano 1, v. 1, p. 105-122, 1998.

Ex.:

FIGUEIREDO, E. Canadá e Antilhas: línguas populares, oralidade e literatura. Gragoatá, Niterói, n. 1, p. 127-136, 2. Sem. 1996.

Ex.:

PERSON, Domingos. A Ilha Bela: história, mapa, serviço. Neo, São Paulo, v. 3, n. 10, p. 40-43, 1996. 1 CD-ROM.

  • Sem indicação de autoria

Chave:

TÍTULO do artigo com a primeira palavra toda em caixa-alta. Título do Periódico, local de publicação, número do ano e/ou volume, número do fascículo, página inicial e final do artigo, data.

Ex.:

APRENDENDO sozinho em casa. Revista Brasileira de Educação a Distância, Rio de Janeiro, v. 3, n.13, p. 27-31, nov./dez. 1995.

Ex.:

MULTIMÍDIA para iniciantes. PC World, São Paulo, fev. 1997. Disponível em :< http://www.idg.com.br/pcworld/56multim.html>. Acesso em: 2 mar. 1997.

d)     artigos em jornais impressos

Elementos essenciais: Autor(es) (se houver), título do artigo, título do jornal, local de publicação, página inicial e final do artigo, data.

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Prenome. Título do artigo. Título do jornal, local da publicação, página inicial e final do artigo, data (dia, mês e ano).

Ex.:

BRIDI, Rita. Grande Vitória já soma um milhão de subnutridos. A Gazeta, Vitória, p. 5, 20 fev. 1994.

e)     artigos em jornais em meios eletrônicos

Elementos essenciais: são os mesmos indicados no item anterior (4.4.1, letra d), acrescidos das informações pertinentes ao suporte eletrônico: endereço eletrônico e data de acesso.

  • com indicação de autoria

Ex.:

VILLASCHI FILHO, Arlindo. Vantagens do atraso. Gazeta On Line, Vitória, 3 out. 1996. Disponível em:<http://www.redegazeta.com.br/homepage/poi/03op1.htm>. Acesso em: 3 out. 1996.

  • Sem indicação de autoria

Ex.:

SUPREMO dos EUA julga internet. Correio Brasiliense, Brasília, 20 mar. 1997. Mundo. Disponível em:< :http://www.correiobrasiliense.com.br/atual/editoria/mundo/3a.htm>. Acesso em: 20 mar. 1997.

f)       artigos em cadernos ou similares de jornais impressos

Elementos essenciais: autor(es), título, título do jornal, local de publicação, data, caderno (ou similar), página inicial e final do artigo.

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Prenome. Título do artigo. Título do jornal, local de publicação, data. Título do suplemento, página inicial e final do artigo.

Ex.:

SIMÕES, João Manuel. Camilo, autor e personagem. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 26 de maio 1990. Cultura, p. 1.

g)     artigos em cadernos ou similares de jornais em meios eletrônicos

Elementos essenciais: são os mesmos indicados no item anterior (4.4.4, letra f), acrescidos das informações pertinentes ao suporte eletrônico: endereço e dada de acesso.

Ex.:

PLASTICULTURA salva lavouras do frio. Gazeta do Povo, Curitiba, 6 ago. 2000. Seção Economia. Disponível em :< http://www.gazetadopovo.com.br/jornal/economia/index.html>. Acesso em: 6 ago. 2000.

4.4  EVENTOS (CONGRESSOS, SIMPÓSIOS, SEMINÁRIOS…)

Elementos essenciais: designação do evento, numeração (se houver), ano e local de realização do evento, título da publicação, local, editora e ano.

Elementos complementares: denominação de seções ou divisões do evento, indicação de quantidade de volumes ou partes.

No título da publicação, substituem-se por reticências as informações já contidas na entrada.

Chave:

DESIGNAÇÃO, número, ano e local de realização do evento. Título da publicação. Local: Editora, ano.

Ex.:

CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 2., 1994, Belo Horizonte. Anais…Belo Horizonte: Associação dos Bibliotecários de Minas Gerais, 1994.

Ex.:

SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 11., 2000 Florianópolis. Anais… Florianópolis: UFSC, Biblioteca Universitária, 2000. 1 CD-ROM.

4.5.1 Trabalhos apresentados em eventos

Elementos essenciais: autor (es), título do trabalho, seguido da expressão “In:”, designação do evento, numeração (se houver), ano e local de realização, título da publicação, local, editora, ano, identificação da parte referenciada.

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Prenome. Título: subtítulo (se houver) do artigo. In: TÍTULO DO EVENTO, número, ano e local de realização do evento. Título da publicação. Local: Editora, ano. Indicação da parte referenciada.

a)     Trabalhos impressos

Ex:

CARVALHO, K. de. Informação: direito do cidadão. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 16., 1991, Salvador. Anais… Salvador: Associação Profissional dos Bibliotecários do Estado da Bahia, 1991. v. 2, p. 1171-1180.

b)     Trabalhos em meios eletrônicos

Ex.:

ANDRÉ, M. E. A. D. O papel didático da pesquisa na formação do professor. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 18., 1995, Caxambu. Anais… Caxambu: ANPED, 1995. 1 disquete, GT4. Trabalho. Andre.doc.

Ex.:

ASSUNÇÃO, M. M. S. de. As determinações de gênero na escolha, formação e prática docente das professoras primárias. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 8., 1996, Florianópolis. Painéis… Florianópolis: ENDIPE, 1996. Disquete 4, pain34.doc, f. 9-22.

Ex.:

SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma de qualidade total na educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos… Disponível em:<http://www.propesq.ufpe.br/anais.htm> Acesso em: 21 jan. 1997.

Trabalhos apresentados em eventos e não publicados nos anais são referenciados como obras inéditas.

Ex.:

FIGUEIREDO, Carlos. A linguagem racista no futebol brasileiro. Trabalho apresentado no VI Congresso Brasileiro de História do Esporte, Laser e Educação Física, Rio de Janeiro, 1998. Disponível em:<http://www.geocities.com/Athens/Stux/9231/racismo.htm>. Acesso em: 14 abr. 2000.

4.5  MULTIMEIOS

4.6.1 Filmes cinematográficos, fitas de vídeo, DVD

Elementos essenciais: título, indicação de responsabilidade (diretor, produtor), local, produtora, ano, quantidade e tipo de suporte.

Elementos complementares:[3] outras indicações de responsabilidade (coordenação, intérpretes, roteiro, música), duração (minutos), sistema de reprodução, indicação de som, de cor e informações consideradas relevantes.

Chave:

TÍTULO DO FILME. Indicação de responsabilidade. Outras indicações de responsabilidade. Local: Produtora, ano. Quantidade e tipo de suporte (duração em minutos), sistema de reprodução, indicação de som (legenda ou dublagem), indicação de cor, largura em milímetros.

a)     Filmes cinematográficos

Ex.:

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles. Produção: Martire de Clemont-Tonnere e Arthur Cohn. [S.l.]: Le Studio Canal, 1998. 1 bobina cinematográfica.

Ex.:

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martire de Clemont-Tonnere e Arthur Cohn. Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marília Pera; Vinícius de Oliveira; Sônia Lira; Othon Bastos; Matheus Nachteergaele e outros. Roteiro: Marcos Berrnstein; João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. [S.l.]: Le Studio Canal; Riofilme; MACT Productions, 1998. 1 bobina cinematográfica (106min), son., color., 35mm.

b)     fitas de vídeo

Ex.:

JEP 1: júnior english program. Produção: Centro de Lingüística aplicada do Instituto de Indiomas Yázigi. Adaptação: Catherine Young Silva. Porto Alegre: RBS Vídeo, [1997?]. 1 videocassete (45min), VHS, son., color.

c)     DVD

Ex.:

BLADE Runner. Direção: Ridley Scott. Produção: Michael Deeley. Intérpretes: Harrison Ford; Rutger Hauer; Sean Young; Edward Ward; James Olmos e outros. Roteiro: Hampton Fancher e David Peoples. Música: Vangelis. Los Angeles: Warner Brothers, c1991. 1 DVD (117MIN), WIDESCREEN, COLOR. Produzido por Warner Video Home. Baseado na novela “Do antrois dream of eletric sheep?” de Phillip K. Dick.

4.6.2 Fotografias, originais de arte.

Elementos essenciais: autor (es), título (se não houver, pode ser atribuído ou deve ser usada a expressão “sem título”, entre colchetes), data, quantidade e tipo de suporte.

Elementos complementares: indicação de cor e dimensões (centímetros) e outras informações consideradas relevantes.

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título. Ano. Quantidade e tipo de suporte.

a)     fotografias

Ex.:

BONINO, Paulo. Vista aérea da Ilha do Cercado, Vitória, ES, 1968. 1968. 1 fotografia.

Ex.:

BONINO, Paulo. Vista aérea da Ilha do Cercado, Vitória, ES, 1968. 1968. 1 fotografia, p&b, 18x24cm.

Fotografia de obra de arte pode ter a entrada principal pelo autor da obra de arte ou pelo fotógrafo. O critério de escolha vai depender do destaque que se quer dar a um ou outro, uma vez que ambos são considerados autores de suas respectivas obras, isto é, a obra de arte e a fotografia dessa obra.

Tratando-se de um conjunto de fotografias com suporte físico próprio, por exemplo, um álbum, essa informação deve preceder o número de fotos.

Ex.:

UNIVERSIDADE Federal do Espírito Santo: administração Dr. Alaor de Queiroz Araújo, 27 de junho de 1967. 1967. 1 álbum (32 fotografias, p&b, 18x24cm), 30x45cm.

b)     Originais de arte

Ex.:

SAMÚ, Raphael. Vitória, 18,35 horas. 1977. 1 gravura serigraf., color., 46x36cm. Coleção particular.

4.6.3 Discos, fitas cassete

Elementos essenciais: compositor (es) ou intérprete(s), título, local, gravadora (ou equivalente), ano, quantidade e tipo de suporte.

Elementos complementares: indicação de responsabilidade (produtor, diretor artístico, etc.), tempo de gravação (minutos) e outras informações consideradas relevantes.

Chave:

COMPOSITOR OU INTÉRPRETE. Título. Indicação de responsabilidade. Local: Gravadora, ano. Número de discos (tempo de gravação em minutos), velocidade de execução, número de canais sonoros, dimensão em polegadas, número do disco na gravadora.

Ex.:

BOSCO, João. Caça à raposa. São Paulo: RCA Victor, 1975. 1 disco sonoro.

Ex.:

BOSCO, João. Caça à raposa. Coordenação geral: Carlos Guarany. São Paulo: RCA Victor, 1975. 1 disco sonoro (45 min), 33 1/3rpm, estéreo, 12 pol.

Ex.:

SATER, Almir. Almir Sater ao vivo. [S.l.]: Columbia, 1997. 1 cassete sonoro (ca. 45 min), 3 ¾pps.

Se a referência for apenas de uma faixa do disco ou da fita cassete, essa deverá ser identificada no início, seguida da expressão “In:” e da descrição completa do disco ou da fita cassete.

Ex.:

BOSCO, João; BLANC, Aldir. Jardins de infância. In: BOSCO, João. Caça à raposa. São Paulo: RCA Victor, 1975. 1 disco sonoro. Lado A, faixa 4.

A identificação do intérprete também é possível.

Ex.:

CAYMMI, Dorival. Quem vem para beira do mar. Intérprete: Adriana Calcanhotto. In: CALCANHOTTO, Adriana. Marítimo. [S.l.]: Sony Music, [199-]. 1 CD, faixa 4.

5        OUTROS TIPOS DE DOCUMENTOS

5.1  NORMAS TÉCNICAS

Chave:

ÓRGÃO NORMALIZADOR. Título: número da norma. Local, ano.

Ex.:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências bibliográficas: NBR 6023. Rio de Janeiro, 1989.

5.2  REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS

a)     leis, decretos, medidas provisórias e portarias

Elementos essenciais: Local de jurisdição, título (tipo, número e data do ato legislativo), dados da publicação de onde foi tirado o ato legislativo (livro, periódico técnico, diário oficial).

Elementos complementares: ementa e outras informações consideradas relevantes.

Chave:

LOCAL DE JURISDIÇÃO. Tipo, número e data do ato legislativo. Referência da publicação consultada (livro ou periódico).

Ex.:

BRASIL. Decreto-lei nº2.423, de 7 de abril de 1988. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 8 abr. 1988. Seção 1, p. 6009.

Ex.:

BRASIL. Lei nº9.995, de 25 de julho de 2000. Dispõe sobre as diretrizes para elaboração da lei orçamentária de 2001 e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 26 jul. 2000. Disponível em: <http//www.in.gov.br>. Acesso em: 11 ago. 2000.

Ex.:

BRASIL. Medida provisória nº1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.

Ex.:

BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.

b)     acórdãos, decisões e sentenças

Elementos essenciais: local de jurisdição, nome da corte, título (natureza da decisão ou ementa), tipo e número do recurso, partes envolvidas (se houver), relator, local, data, dados da publicação de onde foi retirado o ato legislativo (livro, periódico, diário oficial).

Chave:

LOCAL DE JURISDIÇÃO. Nome da Corte. Ementa ou acórdão. Tipo e número do recurso. Partes litigantes. Relator: nome. Local data. Referência da publicação consultada (livro ou periódico).

Ex.:

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Deferimento de pedido de extradição. Extradição nº 410. Estados Unidos da América e José Antônio Hernandez. Relator: Ministro Rafael Mayer. Brasília, 21 mar. 1984.Revista Trimestral de Jurisprudência, Brasília, v. 109, p. 870-879, set. 1984.

c)     pareceres, resoluções e indicações

Chave:

INSTITUIÇÃO RESPONSÁVEL (local de jurisdição). Especificação, número e data do ato. Referência da publicação consultada (livro ou periódico).

Ex.:

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO (Brasil). Resolução nº 16, de 13 de dezembro de 1984. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 13 dez. 1984. Seção 1, p. 190-191.

d)     Constituição e emendas constitucionais

Chave:

PAÍS ou ESTADO. Constituição (ano de promulgação). Título. Local: Editora, ano.

Ex.:

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

Ex.:

ESPÍRITO SANTO (Estado). Constituição (1989). Constituição [do] estado do Espírito Santo 1989. Vitória: Assembléia Legislativa, 1989.

Ex.:

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 9, de 9 de novembro de 1955. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência: legislação federal e marginália, São Paulo, v. 59, p. 1966, out./dez. 1995.

5.3  ENTREVISTAS

a)     entrevistas não publicadas

Chave:

SOBRENOME DO ENTREVISTADO, Prenome. Título da entrevista. Ano. Outras informações consideradas relevantes.

Ex.:

DEBECKER, Paul. Gestão Ambiental. 1996. Entrevista concedida a Mariana Loures Rocha Perota, Vitória, 5 jul. 1996.

Ex.:

BECCALLI, A. M. Diretrizes para consolidação do processo de informatização do SIB/UFES. 1996. 2 cassetes sonoros. Entrevista concedida a I.C.L. Carvalho pela diretora do Sistema Integrado de Bibliotecas da UFES, Vitória, 16 ago. 1996.

b)     entrevistas publicadas

Chave:

SOBRENOME DO ENTREVISTADO. Prenome. Título da entrevista. Referência da publicação consultada (livro ou periódico). Nota da entrevista.

Ex.:

CANHIM, R. Parasitas do Estado. Veja, São Paulo, ano 27, n. 3, p. 7-10, 19 jan. 1994. Entrevista concedida a Eurípedes Alcântara pelo Ministro de Estado da Administração.

Ex.:

SARDENBERG, R. Não largo o osso. Veja, São Paulo, ano 34, n. 36, p. 11-15, 12 set. 2001. Entrevista concedida pelo Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia.

5.4 OBRAS INÉDITAS

Trabalhos e documentos não publicados.

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título. Ano. Nota sobre o trabalho.

Ex.:

CURSO de Atualização em Odontologia no Programa de Saúde da Família, 2001. Apostila do curso oferecido pelo Centro Biomédico da UFES, Vitória, 2002.

Informações verbais (palestras, debates, comunicações, dentre outros) não são incluídas na seção de referências. Essa indicação deverá vir apenas em nota de rodapé (NBR 10520:2002).

5.5  BÍBLIA

Chave:

BÍBLIA, Língua. Título. Tradução ou versão. Edição. Local: Editora, ano.

Ex.:

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução do Centro Bíblico Católico. 34. ed. rev. São Paulo: Ed. Ave Maria, 1982.

Quando se tratar de partes da Bíblia, deve-se incluir o título da parte antes da indicação do idioma e mencionar a localização da parte no final da referência.

Ex.:

BÍBLIA. N. T. João. Português. Bíblia Sagrada. Reed. Versão de Antônio Pereira de Figueiredo. São Paulo: Ed. das Américas, 1950. v. 12, p. 367-466.

5.6  VERBETES DE DICIONÁRIOS E ENCICLOPÉDIAS

a)     Com indicação de autoria

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR DO VERBETE, Prenome. Título do verbete. In: TÍTULO DA OBRA. Edição. Local: Editora, ano. Volume e/ou página inicial e final do verbete.

Ex.:

KENTES, Sérgio. Informática. In: ALMANAQUE Abril 1994. 20. ed. São Paulo: Ed. Abril, 1994. p. 701-704.

b)     sem indicação de autoria

Chave:

TÍTULO DO VERBETE. In: SOBRENOME DO AUTOR DA OBRA, Prenome. Título da obra. Edição. Local: Editora, ano. Volume e/ou página inicial e final do verbete.

Ex.:

POLUIÇÃO ambiental. In: SAMLL, J.; WITHERIC, M. Dicionário de geografia. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 205.

5.7  PROGRAMAS DE COMPUTADOR

Chave:

SOBRENOME DO AUTOR DO PROGRAMA, Prenome. Título (nome do programa, extensão): subtítulo (se houver). Versão. Local: Editora, ano. Quantidade e descrição do meio de disponibilidade.Linguagem. Configuração mínima do equipamento necessário para leitura do aplicativo, plataforma.

Ex.:

GUIMARÃES, Rachel Cristina Mello. ISA. EXE: sistema de gerenciamento para seleção e aquisição de material bibliográfico. Vitória: UFES, Biblioteca Central, 1995. 2 disquetes.

Ex.:

GUIMARÃES, Rachel Cristina Mello. ISA. EXE: sistema de gerenciamento para seleção e aquisição de material bibliográfico. Vitória: UFES, Biblioteca Central, 1995. 2 disquetes, 5 1/4pol. Delphi 3.0. PC 486 ou mais avançado Windows 95 e Windows NT 4.0.

A entrada será pelo nome do programa quando essa for a forma mais conhecida.

Chave:

TÍTULO (nome do programa, extensão); subtítulo (se houver). Versão. Local: Editora, ano. Quantidade e descrição do meio de disponibilidade. Linguagem. Configuração mínima do equipamento necessário para leitura do aplicativo.

Ex.:

WINWORD.EXE: Microsoft Word for Windows application file. Versão 6.0. [S.l.]: Microsoft, c1993. 10 disquetes, 3 1/2pol. Configuração mínima: PC 386 ou mais avançado.

5.8  LISTAS DE DISCUSSÃO[4]

Ex.:

LISTSERVER de Bibliotecas Virtuais. Lista mantida pelo Instituto Brasileiro de Informação em ciência e Tecnologia. Disponível em:< [email protected]>. Acesso em: 15 dez. 1999.

5.9  MENSAGENS POR CORREIO ELETRÔNICO 4

Ex.:

PEROTA, M.L.L.R. NBR 6023:2000 [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por [email protected] em 23 out. 2000.

5.10        HOMEPAGE E SITE INSTITUCIONAL

Elementos essenciais: autor (es), denominação ou título, data, endereço eletrônico (URL) e data de acesso.

Elementos complementares: indicação de responsabilidade, informações sobre o conteúdo da homepage ou site e outras informações consideradas relevantes.

Ex.:

ÁLCOOL e drogas sem distorção. C2000. Disponível em:< www.eistein.br/alcooledrogas>.Acesso em: 2 nov. 2000.

Ex.:

ÁLCOOL e drogas sem distorção. Iniciativa: Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Eistein. Patrocínio: Banco Cidade. Apoio: Len Design Comunicação. Produção One2One. C2000. apresenta textos sobre drogas, onde encontrar ajuda, bibliografia, cursos, notícias, atualização científica, chipping, FAQ. Disponível em: <www.einstein.br/alcooledrogas> Acesso em: 2 nov. 2000.

5.11        FOLDERS, FOLHETOS E CATÁLOGOS.

Ex.:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Universidade viva: abertura do 2. semestre 2000. [Vitória, 2000]. 1 folder.

Ex.:

TRADIÇÕES em São Mateus. Rio de Janeiro: Funarte, FNFCP, 2000. 28P. Catálogo de exposição.

6        REFERÊNCIAS

1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação – citações em documentos – apresentação: NBR 10520. Rio de Janeiro, 2002a.

2 ______. Informação e documentação – referências – elaboração: NBR 6023. Rio de Janeiro, 2002b.

3 FRANÇA, Júnia Lessa et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 5. ed. rev. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

4 FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

5 HÜHNE, Lúcia Miranda (Org.). Metodologia científica: caderno de textos e técnicas. 7. ed. Rio de Janeiro: Agir, 2000.

6 LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. rev. São Paulo: Atlas, 1991.

7 MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos; pesquisa bibliográfica, projeto e relatório; publicações e trabalhos científicos. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

8 PEROTA, Maria Luiza Loures Rocha et al. Referências bibliográficas NBR 6023: notas explicativas. 3. ed. Niterói: EDUFF, 1997.

9 PESSOA, Ida Brandão de Sá. Apresentação de trabalho acadêmico. Recife: Universidade federal de Pernambuco, 1991.

10 SALOMON, Délcio Vieira. Como fazer uma monografia. 4. ed. rev. e ampl. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

11 SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2001.

12 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas para apresentação de trabalhos. 2. ed. Curitiba, 1992.


[1] Na página, a impressão é no anverso e no verso e na folha, apenas no anverso. Exemplos típicos de folhas são os trabalhos acadêmicos.

[2] A NBR 6023/2002 recomenda não referenciar material eletrônico de curta duração nas redes.

[3] Nas chaves, esses elementos estão indicados em itálico.

[4] A NBR 6023:2002 recomenda referenciar as mensagens que circulam por intermédio de correio eletrônico somente quando forem a única fonte sobre o assunto. Não é recomendável usar esses documentos como fonte científica ou técnica de pesquisa por serem de caráter efêmero, informal e interpessoal.

 

 

CITAÇÕES

 

 

TIPOS DE CITAÇÕES

Citação Direta
Transcrição textual de parte da obra do autor consultado. Indicar a data e a página.
Ex.:

“Deve-se indicar sempre, com método e precisão, toda documentação que serve de base para a pesquisa, assim como idéias e sugestões alheias inseridas no trabalho.” (CERVO; BERVIAN, 1978, p. 97).

Citação Indireta
Texto baseado na obra do autor consultado, consistindo em transcrição não textual da(s) idéia(s) do autor consultado. Indicar apenas a data, não havendo necessidade de indicação da página.
Ex.:

Barras (1979) ressalta que, apesar da importância da arte de escrever para a ciência, inúmeros cientistas não têm recebido treinamento neste sentido.

Citação de Citação
Transcrição direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original, ou seja, retirada de fonte citada pelo autor da obra consultada.
Indicar o autor da citação, seguido da data da obra original, a expressão latina “apud”, o nome do autor consultado, a data da obra consultada e a página onde consta a citação.
Ex.:

“0 homem é precisamente o que ainda não é. O homem não se define pelo que é, mas pelo que deseja ser.” (ORTEGA Y GASSET, 1963, apud SALVADOR, 1977, p. 160).

Segundo Silva (1983 apud ABREU, 1999, p. 3) diz ser [ . . . ]

ASPECTOS

EXEMPLOS

 

Um autor - citar o sobrenome e o ano. De acordo com Polke (1972), é função do pesquisador conhecer o que os outros realizaram anteriormente, a fim de evitar duplicações, redescobertas ou acusações de plágio.
Dois a três autores - citar os respectivos sobrenomes separados por ponto e vírgula ‘;’, data da obra e página da citação. “Documento é toda base de conhecimento fixado materialmente e suscetível de ser atualizado para consulta, estudo ou prova.” (CERVO; BERVIAN, 1978, p. 52).
Mais de três autores - citar o sobrenome do primeiro autor seguido pela expressão ‘et al.’ Quanto ao uso de maiúsculas ao longo do texto, segundo Bastos et al. (1979) é recomendável a adoção das normas provenientes da Academia Brasileira de Letras.
Sem autoria conhecida - citar o título e o ano. Conforme análise feita em Conservacionistas … (1980) os ecologistas nacionais estão empenhados no tombamento da referida montanha.No diagnóstico das neoplasias utilizou-se a classificação histológica internacional de tumores dos animais domésticos, segundo o Bulletin … (1974).
Entidade coletiva - citar o nome da instituição e ano. Nas citações subseqüentes, usar apenas a sigla. “O resumo deve ressaltar o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do trabalho.” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1978, p. 46).
Um autor e mais de uma obra - citar o sobrenome e os vários anos de publicação, em ordem cronológica.Quando o ano também for o mesmo, acrescentar letras minúsculas ao ano, tanto no texto, quanto nas referências. “A hierarquia de dominância e necessidade dos sexos alelos do loco p(pigmentação) é diferente nos dois sexos.” (HALKKA et al., 1973, 1975a, 1975b).

 

SISTEMA DE CHAMADA

 

As citações devem ser indicadas no texto utilizando os sistemas de chamada Autor-data ou Numérico. Ao se optar por um sistema de chamada, deve-se adotá-lo até o final, para fins de uniformidade do texto e correlação com as referências em notas de rodapé ou no final do trabalho.

Ex. de Sistema Numérico:

Na citação por números, segundo Rey, “[ . . . ] facilita-se a leitura, faz-se economia de espaço e de trabalho tipográfico.”

11

 

CITAÇÕES ATÉ 3 LINHAS

 

Deve ser inserida no parágrafo entre aspas duplas. Caso existir citação no interior de uma citação entre aspas duplas no texto original, substituí-las por aspas simples. Quando iniciadas com letra maiúscula, as citações devem ser precedidas por dois pontos (:)

 

CITAÇÕES COM MAIS DE 3 LINHAS

Colocar em parágrafo distinto, a 4cm da margem esquerda, com letra menor que a utilizada no texto e sem aspas.
As citações longas devem ser digitadas em espaço simples, separadas dos parágrafos anterior e posterior por espaço duplo.

 

OMISSÃO EM CITAÇÃO

 

As omissões de palavras ou frases nas citações são indicadas pelo uso de elipses
[ . . . ] entre colchetes. 

ACRÉSCIMO EM CITAÇÃO

 

Acréscimos e/ou comentários, quando necessários à compreensão de algo dentro da citação, aparecem entre colchetes [ ].

DESTAQUE EM CITAÇÃO

Para se destacar palavras ou frases em uma citação usa-se o grifo ou negrito ou itálico seguido da expressão grifo meu ou grifo do autor entre colchetes, após a chamada da citação.

TRADUÇÃO EM CITAÇÃO

Quando a citação incluir texto traduzido pelo autor do texto, deve-se incluir a expressão ‘tradução nossa’ entre parênteses, logo após a chamada da citação.

INFORMAÇÃO VERBAL

Quando se tratar de dados obtidos através de informação verbal (palestras, debates, comunicações, etc.), indicar entre parênteses a expressão “informação verbal”, mencionando-se os dados disponíveis somente em nota de rodapé.

 

TRABALHO EM FASE DE ELABORAÇÃO

Quando se tratar de dados obtidos em trabalhos em fase de elaboração, indicar entre parênteses a expressão “em fase de elaboração”, mencionando-se os dados disponíveis somente em nota de rodapé.

ABREVIATURAS DE EXPRESSÕES LATINAS

Utiliza-se expressões latinas abreviadas ou não para as subseqüentes citações do mesmo autor e/ou da mesma obra. Devem ser usadas na mesma página ou folha onde aparece a citação a que se referem.Ex.:Únicas expressões latinas usadas no texto, no caso do Sistema Autor-Data:

Apud = citado por, conforme, segundo.

Et al. ou et alii = e outros

Algumas expressões latinas usadas somente em notas de rodapé, no caso do Sistema Numérico:

Cf. = confira, confronte.
Ex.: Cf. BERNARDES, 1998.Ibid. ou Ibidem = mesma obra.
Ex.: GADOTTI, 1992, p. 210.
Ibid., 1995, p. 190.Id. ou Idem = mesmo autor; igual a anterior.
Ex.: FREIRE, 1990, p. 7.
Id., 1995, p. 20.Loc. cit. ou loco citato = no lugar citado.
Ex.: CASTRO; GOMES, 1997,
p. 52-57.
CASTRO; GOMES, 1997,
loc. cit.Op. cit ou opus citatum ou opere citato = na obra citada.
Ex.: SANTOS, 1996, p. 42.
SILVA, 1990, p. 20-24.
SANTOS, op. cit., p. 19.

Passim = aqui e ali; em vários trechos ou passagens.
     Ex.: MORAES, 1991, passim

Et seq. ou sequentia =seguinte ou que se segue.
Ex.: LOCK, 2000, p. 30 et seq.

E.g. ou exempli gratia = por exemplo
Sic = assim.

Outras expressões usadas:

Apud = citado por, conforme, segundo. Pode ser usada no texto e em nota de rodapé.
Et al. ou et alii = e outros

 

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

  • As citações textuais devem ser destacadas com aspas (até 3 linhas) ougraficamente (mais de 3 linhas).
  • Entradas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável e pelo títuloincluído na sentença devem ser em letras maiúsculas minúsculas.
  • Entradas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável e pelo título,quando estiverem entre parênteses, devem ser em letras maiúsculas.

 

REFERÊNCIA:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2002.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !

1 reply to this post