Como funciona um para-raios


p11

Apesar de parecer bonito quando visto de longe ou mesmo excitante pelo espetáculo grandioso que se estabelece no céu, os raios são um fenômeno natural nada brando e seguro, causando várias mortes anualmente no Brasil e no mundo. Vamos ver como funciona um para-raios e como você pode instalar um em sua casa.

Os para-raios são mecanismos de atração e indução das descargas elétricas produzidas nas nuvens durante tempestades e chuvas com nuvens carregadas. A situação ideal para a formação de raios é quando há choques de temperaturas nos céus, como formação de nuvens devido a evaporação do oceano e o encontro com massas de ar frio.

c F550x4504 Como funciona um para raios

Via Flickr

Além disso, a evaporação rápida, específica de águas tropicais mais quentes, faz com que haja grande atrito das partículas de água nos céus, criando cargas que cedo ou tarde são descarregadas dos céus para o condutor de eletricidade universal mais poderoso do planeta: o solo.

E claro, quem está no solo é que sofre as consequências desse tipo de descarga que tem milhões de volts e pode fritar uma pessoa instantaneamente, provocar incêndios tanto em árvores como em casas, dentre outros tipos de acidentes, como principalmente queimar os aparelhos elétricos da casa na queda do raio.

Como funciona um para-raios

O para-raios funciona através do princípio físico de indução de eletricidade do chamado poder das pontas. As descargas elétricas sempre acontecem pelo caminho mais fácil e mais indutivo, ou seja, sempre será mais fácil para um raio cair em uma ponta longitudinal e o mais alto possível do solo do que no próprio solo, por esse motivo sempre é desaconselhável se abrigar embaixo de árvores durante tempestades.

a F550x4503 Como funciona um para raios

Via Flickr

É obrigação dos governos municipais a instalação de para-raios que cubram uma região específica em um raio de cerca de 100 m². Caso não possua em sua área de habitação, você deve entrar em contato com a prefeitura de sua cidade para a instalação desse tipo de recurso. Quem quer instalar um para-raios pessoal para se manter mais seguro – e isso deve ser feito caso você tenha árvores mais altas em sua casa do que os vizinhos – deve observar os seguintes requisitos:

  • Procure ter uma área em solo que possa ser escavada por cerca de 2 metros de profundidade. Os para-raios são postes longitudinais que ficam instalados em um poço com essa profundidade, preenchido com carvão vegetal. O carvão absorve mais água do que o solo e aquele elemento também é um excelente condutor de eletricidade junto com o poder das pontas. Logo, poste pontiagudo mais água equivalem a uma margem altíssima de acerto de que o raio caia nesse local e não em uma árvore ou na antena de televisão da sua casa;
  • Evite instalar opara-raios muito perto da casa. Quando um raio cai nele, a eletricidade é absorvida pelo carvão e logo se espalha pelo solo, mas caso sua casa fique muito perto, há risco da descarga se infiltrar pela tubulação elétrica que geralmente entra pelo solo na casa, assim como linhas telefônicas;
  • Procure profissionais especializados nesse tipo de instalação em sua cidade e não tente fazer a obra ser demasiadamente econômica, pois esse barato pode sair bem caro caso o para-raios seja mal estruturado e os raios acabem caindo em outro local.

Boa sorte!

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !