Como lutar Kung Fu


4012597219_59b9af5faa

Então você quer lutar Kung Fu. Você está preparado para uma rotina de treino que vai acompanhá-lo até onde os últimos dias de sua vida? Está preparado para ser desafiado fisicamente, mentalmente e espiritualmente? Está disposto a refrear seus instintos, estudar técnicas e praticar exercícios repetitivos por muito tempo antes de sequer experimentar uma luta na prática? Então sente-se e acalme sua mente, a paciência é uma das virtudes necessárias ao seu desenvolvimento, não só enquanto lutador! Vamos começar o seu treinamento pela teoria.

 

O que é Kung Fu?

Kung Fu (falado GongFu na China) é um termo genérico da língua chinesa, frequentemente utilizado no Ocidente como uma definição vaga para centenas de sistemas chineses de combate. A palavra em si é a combinação de duas outras, Gong (significa trabalho, esforço e conquista) e Fu (significa homem e tempo), que juntas, dão sentido de “habilidade conquistada com tempo e esforço” ou “desenvolvimento do homem”. Em seu país de origem, a princípio, Kung Fu não é utilizado para definir artes marciais, mas para definir a qualidade da habilidade de um profissional ou artista de qualquer área.

Para se referir a uma das linhas de artes marciais chinesas, o termo correto na língua seria Wushu, (falado “uô shu”), que significa literalmente “arte marcial”. De qualquer forma, visando não causar ainda mais confusão utilizaremos Kung Fu, como é popularizado neste lado do planeta.

Características Gerais do Kung Fu

As artes marciais chinesas têm uma série de peculiaridades, quando comparadas a artes ocidentais como o Kickboxing, o Sambo, o Boxe e o Savate.

A primeira diferença está na postura do kung fu, que tradicionalmente coloca o lado dominante do praticante à frente: se o praticante for destro, a mão e a perna direita devem ficar à frente.

Outra grande diferença entre o kung fu e outras artes está no uso das mãos. O soco em geral é dado sem que o pulso faça qualquer giro, com o dedo mínimo voltado para baixo, indicador para cima e o cotovelo para baixo. Fora essa, há um número grande de técnicas que incluem bater com as costas da mão, bater com os nós dos dedos, com a palma das mãos, com a faca dos dedos e com as pontas dos dedos.

2406370516 f2b15aa35b Como lutar Kung Fudavidorban/Flickr

Os chutes variam muito de escola para escola, podendo ser altos (na altura do peito, garganta, nuca e cabeça), médios (boca do estômago, costela e flancos) e baixos (visando acertar pés, canelas, coxas, virilha, bacia e parte de baixo da barriga). As técnicas empregadas para as pernas são muito variadas e podem descrever linhas retas, como no Muay Thai ou trajetórias circulares, como no karatê.

O Que preciso para treinar Kung Fu?

Assim como em toda arte, no Kung Fu uma série de coisas é requerida do praticante. Esteja atento e será um grande lutador!

1 – Paciência

Para treinar Kung Fu, você vai precisar principalmente de paciência. As artes marciais chinesas não visam transformações a curto prazo num praticante, pelo contrário, elas foram desenvolvidas para te apoiar pelo resto da sua vida, sendo possível continuar a prática na terceira idade, quando a maior parte das artes marciais já aposentou seus adeptos. As técnicas não são aprendidas direto em sacos de pancada, são aprendidas através de katis e formas, que são sequências de movimentos coreografados cujo objetivo é corrigir a postura do praticante. Exercícios repetitivos para condicionar o corpo, os reflexos e a percepção também são regra geral. Por fim, você não vai lutar com grande frequência enquanto não aprender o básico sobre seu estilo, tornando a coisa toda um pouco monótona para os mais apressadinhos. Paciência é a chave de tudo no Kung Fu.

2 – Uniforme

Ao contrário das artes marciais japonesas (entre essas o Jiu Jitsu, o Judô e o Karatê), o Kung Fu não tem um uniforme fixo para a prática, como o kimono nipônico. No entanto, é muito comum ver um elemento padrão em uma infinidade de escolas de artes marciais chinesas: a calça de corte chinês. Essa calça (geralmente na cor preta) é bem leve e folgada, poder ser feita de um material flexível e tem uma costura especial no fundo entre as pernas, que permite fazer movimentos com grande liberdade e conforto.

Outro acessório comum é o short na cor vermelha ou preta, similar aos shorts usado por lutadores de Muay Thai. Esse shorts são utilizados nos combates em campeonatos de Kung Fu da modalidade Sandá (ver explicação posterior).

3 – Defina seus objetivos e escolha um estilo

Cada estilo pode ser definido em estilo interno e estilo externo, então continue lendo para decidir qual dessas orientações casa melhor com sua condição física e objetivos.

Estilos externos e estilos internos

A China tem catalogadas mais de 300 artes marciais nacionais e cada uma dessas é conhecida como escola, linha ou estilo. A primeira divisão que é observada entre os estilos está no foco de desenvolvimento de cada uma: os estilos externos (uai-jia-cuan, em chinês) são voltados para o desenvolvimento muscular e resistência, exigindo para a prática plena um grande condicionamento físico conseguido através de rotinas de exercício e calejamento, enquanto os estilos internos (nei-jia-cuan) se concentram no desenvolvimento mental, anulação da força do oponente, conceitos teóricos e uso mínimo de energia bruta. Garra do Tigre (Fu Jiao Pai) e Shaolin são exemplos de artes externas ao passo em que Tai Chi Chuan e Baguazang são exemplos de artes internas. Em suma, se quer uma arte para lutar em campeonatos, procure escolas de estilos externos; se quer uma arte para melhorar a sua qualidade de vida e proporcionar benefícios além do combate em si, procure uma escola de estilos internos.

4472802366 b3767f9f70 Como lutar Kung FuMartialarts/Flickr

Escolas

Como explicado, há muitas e muitas escolas de Kung Fu, oferecendo filosofias, posturas e noções distintas de como lutar. Ficaria difícil explicar uma a uma todas essas escolas, então nos limitaremos a falar sobre as mais conhecidas no Brasil. Com certeza você deve encontrar um professor de uma dessas próximo à sua casa.

Escolas Internas

Tai Chi Chuan: conhecido principalmente por ter um grande número de praticantes na terceira idade, o Tai Chi Chuan é uma arte suave e de deflexão, onde não se utiliza força contra força, mas ciclos de neutralização e ataque. Sempre baseada no conceito de Yin e Yang (oposto que se completam) pode ser praticado em qualquer fase ou momento da vida e promove benefícios similares aos da prática da yoga. Apesar do conceito light e esotérico é também um conjunto de técnicas de combate, que utiliza golpes de palma e arremessos baseados na desestabilização do oponente.

Wing Chun: a arte marcial em que Bruce Lee foi treinado veio a ficar popularizada nos últimos anos pelo filme “O Grande Mestre”. O filme conta a história real de Ip Man, um grão-mestre do estilo Wing Chun que, segundo relatos, durante a invasão japonesa à China enfrentou 10 karatecas ao mesmo tempo, saindo vitorioso. O Wing Chun se caracteriza por uma série de noções científicas, entre eles a linha central e o poder do relaxamento. Velocidade em combates de curta distância é o foco desta escola, que tem um dos socos mais rápidos existentes. O famoso “soco de uma polegada” é marca registrado do Wing Chun.

 

Escolas Externas

Shaolin: talvez o estilo de Kung Fu mais disseminado mundo afora. Tem como praticantes conhecidos os atores Jet Li e Jackie Chan e o gordinho lutador de MMA Roy Nelson. Se caracteriza pela rigidez muscular nos movimentos, pelo grande apelo à resistência física e por movimento plásticos, de beleza estética. Segundo a lenda, é um dos estilos de kung fu mais antigos, tendo sido ensinado por um monge budista chamado Bodhidarma a seus discípulos do Templo Shaolin há mais de um milênio atrás.

Sandá: a versão esportiva oficial do Kung Fu. Utilizando luvas e protetores,o Sandá é tanto um conjunto de regras para campeonato quanto um estilo de Kung Fu em si mesmo. É praticado pelo famoso lutador de MMA Cung Le. Focado no combate de contato total, à primeira vista se assemelha ao Kickboxing e ao Muay Thai, mas tem como adição torções e arremessos. Apesar da semelhança com as artes ocidentais, segue na orientação chinesa: mão forte na frente, mão fraca atrás.

Agora com certeza você já está preparado para escolher a melhor escola de Kung Fu para suas necessidades! Dê um giro na sua cidade, converse com um professor de um estilo que lhe interessa e lembre-se de ter paciência! Com tempo de treinamento e esforço você vai se tornar um grande lutador de Kung Fu.

Zai chien!

(imagem destaque: renatoganozo/Flickr)