Como preencher um cheque


cheque_destaque

Muita gente abre conta bancária e recebe cartões de débito, crédito e ainda talões de cheque, mas não sabe exatamente como utilizar essa ferramenta para fazer pagamentos. É muito simples, basta seguir o passo-a-passo para não errar mais e aproveitar as oportunidades de compras. Antes de iniciar as informações básicas do preenchimento, é importante saber algumas outras antes de você sair por aí assinando os talões e criando dívidas.

O cheque nada mais é que uma espécie de pagamento realizado à vista, por isso, é preciso ter bastante cautela e somente usá-lo quando for preciso e claro, se tiver fundo para cobrir o valor pago ali. Em muitos casos, existem acordos informais feitos em que o cliente passa o cheque nas lojas, os conhecidos cheques pré-datados, aqueles cujas datas de compensação são de meses vindouros. Muita atenção neste quesito, pois há o risco de ocorrer o depósito fora da data.

data Como preencher um cheque

Muitos estabelecimentos, como academias de ginástica, por exemplo, fazem planos de pagamento das mensalidades por meio de uso de cheques pré-datados. Antes de realizar qualquer transação, preste atenção se em desistências haverá cobrança de taxas ou se todos os cheques serão depositados ainda que você tenha praticamente desistido do acordo. Procure saber o maior número possível de informações antes de entrar numa dessas, pois são inúmeros os casos de queixas por parte de consumidores.

Agora que você já sabe como são usados os cheque, veja então como preencher um cheque rapidamente, sem grandes mistérios. Use sempre caneta azul ou preta. Lápis e canetas de outra cor qualquer não são usados no preenchimento dos campos vazios no cheque.

cheque2 Como preencher um cheque

  1. Veja que no canto direito lá em cima existe uma lacuna com o símbolo R$. Nela, é preciso colocar o valor do cheque na forma numeral. Por exemplo, R$50,43. Lembre-se que é sempre a forma de números e não por extenso, o que invalida o escrito.
  2. Logo abaixo, repare que existe uma linha onde inicialmente está escrito “Pague por este cheque a quantia de”. Nesse espaço, coloque o mesmo valor já escrito lá em cima mas desta vez por extenso. Seguindo o exemplo acima: se o cheque é de R$50,43, escreva “cinqüenta reais e quarenta e três centavos.
  3. O próximo espaço existente é para você colocar o nome daquele que está recebendo o valor. Se o preço cobrado é de menos de R$100, não é preciso colocar esse detalhe.
  4. Em seguida, veja que existem espaços destinados à data em que o cheque será compensado. Coloque o dia, o mês e o ano. Muita atenção caso você vá realizar compras parceladas em muitas vezes e que há mudança de ano. Fique atento a isso para não errar no ano.
  5. O último campo é para você que é titular do cheque assiná-lo. Lembre-se de que a assinatura precisará ser a mesma feita no dia em que sua conta bancária foi aberta.
  6. Uma forma de garantir a segurança do cheque e claro, do pagamento a ser feito com ele, é cruzá-lo, pois assim ele só é compensado mediante um depósito em conta corrente. Para tal, basta passar duas linhas na diagonal na parte superior esquerda do cheque.

cheque1 Como preencher um cheque

Há alguns anos, o Banco Central do Brasil, órgão que determina as políticas monetárias do país, fez uma pesquisa em que foi identificado que o cheque está cada vez mais sendo deixado de lado e outros meios de pagamento estão tomando mais conta do espaço antes ocupado por ele. Em 2007, o Brasil ocupava a quinta colocação no ranking de países em que o cheque estava diminuindo a sua presença nas transações financeiras. Antes deles estavam a Bélgica, em primeiro lugar, Suíça, Alemanha e Japão seguidos respectivamente.

O uso do cheque não é algo novo, ao contrário, remonta à Idade Média (séculos V ao XV) e nessa época era uma prática em que os senhores feudais colocavam seus ouros em casas dos ourives. Com o passar dos anos, esses ourives davam papéis aos senhores para que eles pudessem pegar o valor depositado quando quisessem.  Assim, foram surgindo os primeiros bancos e esses estabelecimentos se fortaleceram quando do surgimento da burguesia, no século XIV. O comércio estava aquecido e as transações financeiras acompanharam esse ritmo.

Dessa maneira, novas maneiras de usar aquele ouro guardado foram descobertas, como por exemplo, as letras de câmbio, tão comuns na Itália. Essas podem ser consideradas as precurssoras do cheque.

As letras de câmbio eram aceitas em quase todos os lugares da Europa daquela época e assim adquiriram elas foram adqurindo novas formas, até chegar a um modelo parecido com o praticado atualmente. Os bancos ofereciam à sua clientela diversos papéis em branco com essas letras, permitindo então que se comprasse sem a necessidade de estar com a moeda de ouro em mãos. Foi assim que a trajetória do cheque e de lá para cá alguns aspectos foram melhorados, mas o básico continua o mesmo: o de voc~e poder comprar sem ter o dinheiro na hora em mãos.