Como tratar a úlcera varicosa


varicosa

Úlcera varicosa é a formação de feridas nas pernas devido a uma insuficiência venosa crônica que pode ser provocada pelo mau funcionamento do sistema venoso superficial e profundo, ou também pela obstrução venosa. Resumindo: o sangue não consegue voltar para o coração, por conseqüência acaba se acumulando nos membros inferiores, como pés e pernas. O acumulo de sangue gera inflamações que posteriormente ocasiona a úlcera.

Geralmente a ulcera varicosa pode ocorrer em pacientes com varizes ou com históricos de trombose.

Ulcera varicosa

As feridas da ulcera varicosa são conhecidas por provocarem uma dor frequente e volátil, sendo que pequenas feridas podem ser extremamente dolorosas enquanto que feridas maiores podem ser indolores.

A úlcera se apresenta com feridas de formatos irregulares, de início superficiais, mas podem se aprofundar na pele e desenvolver bordas bem definidas e de aparência amarelada. As úlceras costumam aparecer geralmente na porção distal dos membros inferiores.

2919664323 c402925e64 z F550x450 Como tratar a úlcera varicosamynameisharsha / Flickr

Como tratar a ulcera varicosa

O tratamento é prolongado e requer acompanhamento médico, curativos diários e repouso. O tratamento da ulcera varicosa tem por objetivo cicatrizar as feridas. A cicatrização pode ser feita através de terapia compressiva, tratamento localizado da ferida, medicamentos sistêmicos e cirurgia da anormalidade venosa.

Terapia compressiva

  • A úlcera varicosa é causada pelo aumento da pressão nas veias das pernas. Então todo o método de tratamento terá por finalidade diminuir a pressão venosa. A terapia compressiva mecânica atua para aumentar o retorno venoso, diminuir o refluxo sanguíneo e reduzir o inchaço da perna. A terapia compressiva se utiliza dos seguintes métodos: meias elásticas, ataduras compressivas, bota de Unna e compressão pneumática.

Fisioterapia

  • Tem por objetivo promover uma drenagem venosa visando melhorar a articulação do tornozelo e a bomba muscular. A fisioterapia ajuda a diminuir a atrofia muscular que surge pela presença da ulcera varicosa. Com exercícios fisioterapêuticos o paciente poderá fortificar a musculatura da panturrilha, principal região em que a ulcera ataca.

Desbridamento

  • Para acelerar o processo de cicatrização, o médico realiza o desbridamente, um método que consiste em remover tecidos desvitalizados da úlcera. O desbridamento pode ser realizado através de processo químico, mecânico e cirúrgico.

Orientações importantes

Caso você seja portador de ulcera varicosa ou tem algum familiar com a doença, preste atenção nestas orientações e cuidados:

  1. Repouso: é essencial fazer o repouso com as pernas elevadas. Caso seja solicitado pelo médico, o paciente deverá colocar compressas de gases, ataduras de algodão ou meias elásticas sobre o curativo. Este repouso reduz o acúmulo de sangue nas pernas.
  2. Alimentação: o paciente com úlceras varicosas deverá adotar uma dieta rica em frutas, verduras e legumes. Deve evitar ao máximo a ingestão de alimentos gordurosos, salgados e doces. Também deverá evitar bebidas alcoólicas e cigarros.
  3. Curativo diário: é imprescindível trocar os curativos diariamente, principalmente no horário da manhã. É preciso ter atenção nas condições de higiene antes, durante e após o procedimento. Caso a úlcera apresentar uma mudança em seu aspecto, um médico deverá ser procurado.
  4. Recomendação: procure um agente de saúde para auxiliar na limpeza da úlcera e troca do curativo.

Dicas para fazer a limpeza

  • A limpeza da ferida deve ser feita, de inicio, com soro fisiológico, água potável e sabonete neutro.
  • Evite usar produtos antissépticos. Eles podem dificultar a cicatrização.
  • Deve se evitar o excesso de exsudado na úlcera, uma vez que gera infecções e traz desconforto.

3792008089 b27bb9c951 z F550x450 Como tratar a úlcera varicosajakebwotha / Flickr

Importante

O paciente com ulcera varicosa deve estar sempre visitando o médico para que ele possa avaliar a evolução da cura e obter novas prescrições. Mesmo que o tratamento apresente evolução significativa, a analise do médico não poderá ser descartada.

(Imagem destaque: durrah03 / Flickr)