Como tratar anemia profunda


5119873865_112d0fa2de

A anemia não é uma doença, mas o sinal de uma possível doença se instalando ou instalada e é um dos males mais comuns à população em geral. Os antigos costumam dizer, que anemia é falta de sangue, o que faz certo sentido, uma vez que anemia é a falta de glóbulos vermelhos, importantes para o transporte de sangue aos órgãos. Quando há baixo nível de glóbulos vermelhos há pouco sangue chegando aos órgãos e por essa razão, a definição dos nossos avós não está equivocada.

Mas há um equívoco a cerca da anemia, que é importante ressaltar, não é possível que uma anemia, por mais profunda que seja se tornar ou causar a leucemia, no entanto a leucemia pode muito provavelmente causar anemia. As causas mais comuns da anemia são baixa produção ou elevada destruição de hemácias e perda de hemácias e ferro. E para quem ainda tem dúvida a cerca da cura da anemia ser ou não possível, corrigindo a carência que o organismo tem de hemácias é sim, possível curar. Veja algumas dicas de como tratar a anemia profunda.

5119874557 961b9e11ff Como tratar anemia profundausarmyafrica/Flickr

Como tratar

  1. Os cuidados com a reposição de hemácias se dá basicamente com uma alimentação rica em ferro. Anote alguns mais comuns e inclua na próxima compra: folhas verdes escuras como agrião, couve, rúcula, almeirão etc; Feijão, lentilha, grão de bico, ervilha, temperos verdes carne vermelha em especial o fígado, peixe e frango.
    É importante que esses alimentos façam parte do cardápio não só como uma medida de cura, mas também preventiva.
  2. Existem medicamentos que possuem os nutrientes que os alimentos citados possuem e são prescritos por médicos a fim de agilizar a reposição de hemácias ou em casos que por qualquer razão, o paciente se alimente mal. Por mais que tais medicamentos tenham pouca contra indicação, o ideal é sempre procurar um médico, fazer o exame de sangue que mapeia a situação e aí sim , o profissional médico prescreve, de acordo com cada caso. Auto medicação nunca é a melhor alternativa, na dúvida invista na alimentação rica em ferro.
  3. A anemia profunda, causa fadiga e cansaço no paciente e forçá-lo a fazer atividades não irá resolver a situação; É preciso repor a carência de ferro e para ajudar na disposição ingerir alimentos ricos em vitamina C, como: pera, laranja, acerola, limão, goiaba, kiwi, banana, uva, maçã, mamão, manga, etc.
  4. Investir em alimentação rica em cálcio pode ajudar bastante. Peixes, leite, iorgurte, queijos entre outros e se faz importante também incluir no cardápio, alimentos que facilitam a absorção de cálcio pelo organismo, para isso os alimentos com vitamina D são ótimos, atum, cação, óleo de fígado de peixe, manteiga (e não margarina), gema do ovo, de preferência que não seja frita são algumas opções de fácil acesso.

800px Iron deficiency anemia Como tratar anemia profundaE. Uthman, MD/Wickmedia Commons

Como se percebe, tanto a prevenção como a cura da anemia está baseada em um equilíbrio nutricional no organismo. Esse equilíbrio pode ser conquistado e mantido com tais alimentos inseridos no cardápio, em forma de vitaminas fortificantes, medicamento e receitas naturais, como a sugestão que segue:

  • Doce contra anemia: bata no liquidificador 2 copos americanos de folhas de mastruz, a mesma medida de folha de hortelã, 3 bananas com casca bem lavadas, 3 copos de açúcar ou rapadura. Leve ao fogo em panela grossa para que possa ferver e apurar até desprender do fundo da panela.
  • Use esse doce para comer sozinho ou em pães, torradas e biscoitos água e sal, de forma que crianças de 2 a 10 anos consumam 2 colheres desse doce. Adultos de 3 a 4 (se não tiver diabetes). Em média 21 dias após os resultados começam a aparecer.

Agora que você sabe como evitar e tratar a anemia profunda, incorpore novos hábitos alimentares para garantir a quantidade normal e necessária de hemácias no sangue. Contudo vale destacar que se mesmo tomando tais providências a pessoa continuar sentindo fadiga, cansaço por qualquer coisa, é imprescindível uma consulta com clínico geral para que o mesmo possa avaliar e tomar a conduta adequada para o caso.

 (Imagem Destaque: usarmyafrica/Flickr)

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima! Clique aqui para se cadastrar !